A mobilidade corporativa já é uma realidade nas empresas e também pode ser implantada nos órgãos públicos. Quando é bem gerenciada, ela pode trazer benefícios para as organizações como a redução de custos e aumento da produtividade.

Ela também pode promover melhorias na imagem da organização e melhorar a qualidade de vida dos servidores públicos. Quer entender melhor sobre o assunto e descobrir estratégias para adotar a mobilidade corporativa? Acompanhe!

Entenda o conceito de mobilidade corporativa

Ela é uma estratégia para planejar a gestão de servidores que trabalham remotamente e para adotar o uso de tecnologias para reduzir os deslocamentos. Cada organização pode ajustar o plano de acordo com suas necessidades e atividades desenvolvidas.

Para tanto, é necessário promover uma mudança cultural na instituição, utilizar metodologias que facilitem a comunicação entre os servidores públicos e instituir medidas de penalização para quem não cumprir com as boas práticas.

Saiba por que efetivá-la na organização

A mobilidade corporativa pode trazer muitos benefícios para a organização governamental e para a sociedade. Um deles é a diminuição dos impactos ambientais gerados pelos deslocamentos de veículos e suas possíveis paradas devido ao excesso de tráfego. Confira outras vantagens:

Adoção de modelos mais flexíveis de trabalho

As inúmeras opções tecnológicas favorecem a adoção de modelos de trabalho home office. Dessa maneira, o gestor consegue evitar que os servidores percam horas de trabalho em função do excesso de trânsito nas cidades, por exemplo.

Para complementar, a equipe fica mais disposta para desempenhar as atividades, uma vez que não será necessário enfrentar horas no engarrafamento. Consequentemente, há maior probabilidade de aumentar a produtividade no setor público.

Logo, essa é uma opção que também melhora a qualidade de vida dos servidores públicos e a satisfação com as atividades desempenhadas.

Economia

A mobilidade corporativa também favorece a redução de custos no serviço público. Com a diminuição do número de servidores presentes no órgão, por exemplo, é possível diminuir o consumo de energia elétrica, água e materiais de higiene. Em longo prazo, a medida poderá proporcionar uma economia expressiva para o setor.

Melhor gestão do tempo

Esse novo modelo de trabalho também permite que os servidores aprendam a gerir melhor o tempo. A medida pode reduzir o período desperdiçado com conversas paralelas, por exemplo. Além disso, o gestor pode utilizar ferramentas de controle de horas trabalhadas e visão global do projeto da equipe.

Conheça as estratégias para adotar a mobilidade corporativa

Agora que você já entendeu as vantagens desse modelo de trabalho que vem conquistando cada vez mais espaço nas organizações, o que acha de conhecer as metodologias para implantar a mobilidade corporativa? Veja:

1. Faça uma análise da maturidade da organização

Antes de mudar qualquer método de trabalho, é importante conhecer como está a maturidade da organização e dos servidores. Por isso, o gestor deve avaliar se a equipe tem capacidade de desenvolver as tarefas com autonomia e eficiência, sem a necessidade de uma fiscalização pessoal constante.

Também é necessário avaliar se a legislação permite esse modelo de trabalho no órgão público e se a sociedade aceita essa medida.

2. Pense no desenvolvimento e monitoramento do projeto

Depois de avaliar o contexto do setor público, é necessário considerar as ferramentas que precisam ser adotadas para implantar a mobilidade corporativa.

Geralmente, as organizações precisam investir em equipamentos de ponta para os servidores e serviços em Cloud Computing para facilitar o compartilhamento de informações.

Para complementar, é recomendável investir em soluções que permitam o monitoramento da produtividade dos servidores. Com isso, será possível verificar se o colaborador desperdiçou muito tempo utilizando as redes sociais, se ele baixou documentos particulares no computador da instituição ou se ele ficou um longo período sem produzir.

Caso tenha dúvidas sobre como fazer o monitoramento das informações, é recomendável que o gestor procure auxílio de uma empresa terceirizada com know-how no assunto.

3. Invista em equipamentos

A mudança no modelo de trabalho também demanda um investimento em equipamentos modernos e eficientes. Dessa maneira, o gestor evita o uso de aparelhos pessoais para a execução de atividades do setor público.

Para tanto, é recomendável orientar os servidores sobre suas responsabilidades com os materiais e a obrigatoriedade de usá-los apenas para trabalho. Também pode ser feito um termo de uso sobre os aparelhos, informando que se houver mau uso ou extravio o valor será cobrado do servidor.

Isso garante um maior controle sobre os equipamentos, evita prejuízos para o setor público e dá mais segurança jurídica para a instituição.

4. Alinhe as mudanças com os servidores

Para que a estratégia de mobilidade corporativa funcione, é necessário promover uma mudança cultural no setor público e na sociedade. É preciso informar a comunidade sobre a nova estratégia, mostrando que isso trará benefícios para todos.

Também é fundamental conversar com a equipe para difundir a ideia e explicar como funcionará a metodologia. Muitas vezes, as pessoas são resistentes às mudanças repentinas, exigindo maior tempo de adaptação.

Portanto, é importante apresentar os benefícios dessa estratégia para o setor público e para os servidores. O gestor pode lembrá-los, por exemplo, que eles não enfrentarão mais longas horas no trânsito e que terão mais tempo para dedicar à família. Também é necessário fazer uma orientação sobre o uso de novos equipamentos ou ferramentas.

5. Adote estratégias de segurança para a mobilidade corporativa

Uma preocupação comum de muitos gestores é a segurança da informação. Contudo, ao escolher as ferramentas adequadas ou parceiros especializados é possível prevenir os ataques cibernéticos e o vazamento de informações.

Algumas estratégias permitem o bloqueio de sites duvidosos e uso de login e senha para identificar o usuário e evitar o acesso de estranhos. Também é possível investir em backup de dados, uso de criptografia, entre outras opções que garantem a confiabilidade das informações do setor público.

Ademais, é essencial orientar os servidores para que façam uma navegação segura nos sites e no próprio e-mail da instituição. Afinal, um simples clique em um link com vírus pode prejudicar todos os computadores conectados ao sistema.

Agora que você já sabe como adotar a mobilidade corporativa, o que acha de investir na inovação no setor público? Aproveite para conferir o post sobre gestão tecnológica!