Desenvolver um projeto de TI demanda tempo e dedicação da equipe. Muitas vezes, o setor público não tem a estrutura adequada para realizar os procedimentos corretamente, o que gera transtornos e gastos desnecessários. Utilizar as principais técnicas de gestão de projetos é fundamental para concluir uma demanda e ter sucesso no resultado final.

Por isso, muitas vezes é necessário recorrer a terceiros para obter ajuda na organização e planejamento do programa. Para tanto, é importante entender que o gestor também precisa acompanhar o processo para realizar os ajustes durante as etapas de desenvolvimento. Quer conhecer as principais técnicas de gestão de projetos para o setor de TI? Acompanhe neste post!

Importância de se utilizar uma metodologia apropriada

Cada projeto de TI tem uma particularidade, pois sua finalidade é atender às necessidades do órgão público e dos cidadãos. Ele tem como principais características:

  • temporariedade;

  • resultado único;

  • progressividade na elaboração.

Por esse motivo, é muito importante criar uma metodologia adequada para estabelecer uma sequência lógica de execução e os devidos prazos. Assim, a equipe de TI consegue manter o foco nas atividades principais para implantar a iniciativa.

Há muitas técnicas de gestão de projetos, e cabe ao gestor identificar quais delas são adequadas para o setor público ou o objetivo do momento. Afinal, a metodologia correta pode ajudar o órgão a economizar recursos financeiros, evitar retrabalhos e atender o objetivo proposto.

Principais técnicas de gestão de projetos

Fazer o monitoramento do plano é fundamental para garantir o seu sucesso. Por isso, você precisa conhecer as principais técnicas de gerenciamento para poder escolher a mais adequada para a sua organização.

1. Metodologia Lean

Esse é o método que visa obter a maior qualidade, com o menor custo e prazo. Para isso, ele se baseia no desenvolvimento de técnicas para garantir o sucesso do projeto e a satisfação dos envolvidos.

Em primeiro lugar, o responsável precisa compreender com clareza as necessidades que serão atendidas com o projeto. Fazer as perguntas certas e registrar as informações é muito importante para evitar problemas na etapa final de execução. Também é essencial planejar as fases de desenvolvimento e estabelecer o prazo para a entrega.

Além disso, é necessário realizar reuniões durante o processo para ajustar os detalhes e apresentar uma visão geral do andamento do projeto. Essa prática evitará erros e contribuirá para que o programa seja entregue com qualidade e dentro do prazo.

2. Prince 2

O Projects IN Controlled Enviroment (Prince 2) tem como objetivo abranger todos os aspectos de gerenciamento e controle de projetos. Ele é um método britânico que visa manter o foco no produto final e nas entregas. Para isso, ele se baseia em algumas premissas:

  • controle;

  • organização;

  • revisão de processos;

  • análises no planejamento;

  • gerenciamento de desvios;

  • participação da gerência;

  • comunicação efetiva entre o desenvolver e o órgão que solicitou o projeto.

Desse modo, o gestor do setor público consegue acompanhar o passo a passo da execução, pedir explicações e fazer ajustes no decorrer do processo.

3. Scrum

Essa é uma técnica muito utilizada para o setor de software, mas que pode ser aplicada em diversos segmentos de tecnologia. O método é baseado em pequenos passos, denominados de sprints, para se chegar ao resultado final.

O objetivo é permitir um acompanhamento de cada sprint e evitar a preocupação excessiva com o processo. Ao final de cada etapa, é realizada uma reunião entre quem solicitou o plano e quem o executa. Esse é o momento de apresentar os resultados e verificar se os objetivos iniciais foram cumpridos.

Se o gestor concordar com todos os detalhes do sprint, a equipe segue para o próximo passo. A metodologia também permite a realização de reuniões diárias rápidas para estabelecer as metas prioritárias para o dia. Esse método, então, estabelece pequenas etapas que, quando reunidas, serão responsáveis por criar o projeto final.

4. Project Model Canvas

Essa é uma ferramenta utilizada por diversos setores e pode se encaixar muito bem na gestão de projetos de TI para o setor público. O conceito tem como proposta substituir extensos arquivos de papel por uma página de A4 e pequenas anotações.

A ideia é criar um plano simples e objetivo a fim de facilitar sua execução. Para isso, os participantes respondem a algumas perguntas básicas como:

  • qual é o objetivo do projeto?

  • quem será atendido?

  • qual é o custo?

  • como executá-lo?

  • qual é o prazo?

Assim, as ideias ficam mais visíveis para todos os desenvolvedores, facilitando a compreensão.

5. Adaptive Framework Project

Essa metodologia, também conhecida por AFP, é muito utilizada no gerenciamento de projetos de tecnologia. Ela estabelece uma estrutura minuciosa sobre os requisitos do programa e os objetivos estratégicos, indicando as funções de cada etapa.

Isso funciona como uma referência para o escopo do programa. A partir disso, são desenvolvidas as etapas, que passam por uma análise sobre os resultados. Também é possível mudar o escopo do projeto sem interferir no produto final. Tudo conforme as expectativas do gestor que solicitou o programa.

6. Front End Loading (FEL)

Essa metodologia ajuda o gestor que precisa desenvolver projetos de alta complexidade e custo. Ela se baseia na criação de uma sistemática para evitar as possibilidades de rejeição dos trabalhos desenvolvidos.

O método evita que drásticas mudanças sejam feitas no final do projeto, o que geraria um maior gasto por parte do setor público. Sendo assim, ela se baseia na criação de três etapas subsequentes: FEL 1, FEL 2 e FEL 3.

Ao final de cada uma, o gestor precisa aprovar o trabalho executado para que a equipe possa continuar o desenvolvimento do projeto. Esse também é o momento de avaliar a qualidade e as possibilidades de erro no orçamento previsto. Também existe a viabilidade de abortar completamente o plano ou reavaliar o que já foi feito.

O projeto só será concluído se ele receber a aprovação total nas três fases. Essa é uma maneira de evitar atrasos na entrega, planejamento incorreto e custos gerados por constantes mudanças, dando total controle ao gestor.

Como você pode notar, há muitas técnicas de gestão de projetos que podem ser utilizadas. O ideal é sempre escolher a que melhor se adapta ao perfil do órgão público e ao orçamento disponível.

Gostou dessas metodologias? Aproveite para falar com nossa equipe e contar com a nossa expertise na área!