Os gestores de TI gostariam que a sua equipe trabalhasse sempre em sintonia, com harmonia, contribuindo para um ambiente laboral mais saudável. Entretanto, nem sempre a realidade corporativa corresponde a esse desejo. Por isso, é preciso saber fazer a mediação de conflitos.

Essa não é uma das tarefas mais simples, mas o líder precisa ter a capacidade de gerenciar esse tipo de problema de forma eficaz. Para aprimorá-la, acompanhe essas 7 dicas!

1. Reduza as falhas de comunicação

Um dos grandes problemas nas empresas são as falhas na comunicação interna. Muitas vezes, o próprio gestor não consegue delegar tarefas com clareza, o que acaba comprometendo o desempenho do colaborador e das equipes de TI.

Por isso, deve-se passar todas as informações da forma mais clara possível, deixando o funcionário livre para fazer perguntas e tirar dúvidas, caso as tenha.

Se a organização é vulnerável nesse sentido, o responsável pelo setor deve adotar procedimentos para a troca de informações interna e externa, como a criação de protocolos para o envio e recebimento de documentos.

No entanto, se a intenção é evitar burocracia e papelada, todas as solicitações podem ser realizadas via e-mail. Dessa forma, evita-se o excesso de formalidade, por meio de uma solução mais ágil.

Em um primeiro momento, esse processo para aprimorar a comunicação pode parecer chato e desgastante. Contudo, é uma excelente alternativa para que a comunicação seja bem-sucedida.

Assuntos resolvidos verbalmente podem ser esquecidos ou postergados, o que não ocorre quando se registra o que foi dito, seja no papel ou pelo correio eletrônico.

2. Incentive a racionalidade entre os seus colaboradores

A grande maioria dos problemas corporativos acontece quando ocorre um mal-entendido ou uma crítica construtiva e, quem está do outro lado, leva a colocação para o lado pessoal, em vez de encarar como uma situação profissional.

Nesse cenário, a mediação de conflitos é fundamental, para saber lidar com pessoas mais difíceis, que não aceitam apontamentos sobre o seu trabalho, reagindo com raiva e que levantam o tom de voz sem necessidade, criando um péssimo clima no ambiente laboral.

A melhor maneira de encarar desentendimentos dessa natureza é com firmeza. Seja o mais objetivo possível com o seu time, deixando claro que assuntos de trabalho devem ser resolvidos sempre de forma racional e respeitosa.

E não adianta só falar. Também é preciso dar o exemplo. Afinal, de nada adianta orientar os funcionários para agirem profissionalmente se você se comporta sem equilíbrio, de maneira déspota.

3. Avalie a questão de forma justa na mediação de conflitos

Se envolver em problemas pequenos e sem importância denota um gestor difuso, que se envolve excessivamente na vida do colaborador. O que deve ser evitado ao máximo.

Prefira usar sempre o bom senso para ser justo. Em muitas empresas existem problemas reais entre as pessoas. Porém, quando eles são de origem externa, mas não interferem no desempenho dos profissionais, o ideal é não entrar no meio do assunto.

Para fazer uma mediação de conflitos com diplomacia, é preciso dar um peso a cada questão. Se o desentendimento afeta a produtividade da equipe e os relacionamentos interpessoais, interferindo de maneira negativa em suas atividades diárias, é hora de ser firme e conversar com ambos os lados sobre o problema.

Dessa forma, o líder consegue ter uma visão ampla do que está acontecendo e consegue tomar decisões mais acertadas, em benefício da organização.

4. Transforme o conflito em um debate

Toda história tem dois lados. Dependendo da situação, é interessante chamar os envolvidos e ter uma conversa sobre a origem do problema, seus agravantes e utilizar um tom calmo, porém firme, permitindo a ambos que exponham as suas opiniões e argumentos de forma civilizada.

Afinal, nenhum gestor de TI quer ver os seus funcionários saindo no tapa. Por mais difícil que pareça, todo aborrecimento laboral pode ser resolvido, desde que o responsável pelo setor saiba conduzir a mediação, mostrando às pessoas como debater o problema de maneira adulta, com respeito.

E não se esqueça de algo importante: esse debate precisa engajar as partes para que se chegue a uma conclusão, solucionando o inconveniente da melhor forma possível para os envolvidos.

Ao adotar o debate, eles têm a chance de conversar e converter uma situação nociva e, muitas vezes, pontual, em uma prática saudável para a mediação de conflitos e benéfica para ambos os lados, que conseguem interagir racionalmente.

5. Veja a questão sob a perspectiva do outro

Muitas vezes, o próprio gestor é quem vai se envolver em um conflito. Para sair disso com o menor dano, o mais indicado é ouvir e se colocar na perspectiva do colaborador (ou da equipe de TI).

Isso serve para resolver e evitar desentendimentos, pois, quando o responsável adota uma postura firme, mas aberta ao diálogo, o funcionário percebe que tem a liberdade de conversar, discordar de uma determinada opinião e expor o seu lado, sem receber represálias.

Adote essa atitude como uma ferramenta de trabalho e veja como os seus subordinados vão respeitar muito mais e tê-lo como exemplo de profissional a ser seguido.

6. Acalme os ânimos

Em muitos casos, por mais que se tente, será impossível evitar discussões acaloradas entre os seus funcionários.

Se isso ocorrer, interrompa a discussão e chame outra pessoa para separar os envolvidos — de preferência que um fique em uma sala e o outro em um local diferente — até que ambos se acalmem e tenham condições de conversar normalmente.

Jamais deixe indivíduos nervosos no mesmo ambiente. As coisas podem partir para a agressão física, o que é inaceitável no ambiente de trabalho.

7. Tome uma decisão justa

Se, no final das contas, não houver solução para a situação, é hora de tomar uma posição efetiva sobre o assunto. Infelizmente, em certos casos, não é possível encontrar uma saída ou um dos envolvidos não cede ou se excede em seu comportamento.

Quando isso ocorre e o líder já utilizou todas as ferramentas para a conciliação, não há outra solução: é necessário desligar a pessoa que está provocando o desentendimento. Mas só escolha essa opção após esgotar todas as tentativas de intermediação.

Vale ressaltar que um bom gestor de TI só consegue fazer essa tarefa quando tem o domínio de si próprio e consegue se manter justo e imparcial, com foco no que é melhor para todos. A mediação de conflitos exige racionalidade, eficiência, bom senso e inteligência emocional.

Você gostou deste post? Lembrou-se de outras dicas para mediar conflitos? Então deixe um comentário e compartilhe a sua opinião e experiência sobre o assunto!