Muitas inovações têm contribuído para a melhoria nos processos das empresas e na qualidade de vida das pessoas. Mas quando falamos em cuidado com o ser humano, a tecnologia hospitalar ganha um papel de destaque. Ela pode impactar na qualidade do atendimento e garantir condições favoráveis à plena recuperação do paciente.

Quer saber como a tecnologia hospitalar pode desempenhar esse papel? Deseja saber como ela pode aumentar a eficiência de uma equipe de saúde, prevenir erros e ajudar a oferecer o cuidado necessário às necessidades dos pacientes? Então continue a leitura deste post e confira!

Aprimoramento da logística interna

Em todas as empresas, a eficiência dos processos é essencial para o sucesso. Em uma instituição hospitalar, ela representa muito mais que isso. Por isso, a logística interna merece uma atenção especial.

A logística interna abrange todos os procedimentos que acontecem dentro de um hospital — desde a recepção, triagem de pacientes, gestão da equipe, processos de atendimento, controle de medicamentos, realização de procedimentos e exames, entre outros.

Quando todo esse processo tem uma gestão eficiente, a equipe tem as condições necessárias para realizar um atendimento de qualidade e trabalhar dentro de uma determinada margem de custos.

Nesse sentido, as tecnologias ajudam a entender esses processos e a organizá-los de maneira otimizada. Isso evita prejuízos e garante a disponibilidade e o uso otimizado dos materiais necessários, resultando no bom atendimento aos pacientes.

Utilização do registro ou histórico eletrônico dos pacientes

Nem sempre, no momento do atendimento, o paciente tem condições de relatar ao médico o seu histórico de saúde. Isso pode acontecer em situações de emergência, inconsciência ou outras condições que impedem essa comunicação.

Porém, mesmo quando a situação não é tão grave ou extrema, muitos pacientes simplesmente não se lembram de dados referentes a seu histórico pessoal. Isso pode exigir a realização de exames complementares que atrasam medidas ou envolvem custos adicionais.

A existência de um prontuário eletrônico disponibiliza imediatamente ou até mesmo remotamente o acesso aos dados do paciente.

Esse tipo de registro permite que a equipe do hospital pratique uma medicina baseada em dados. As informações direcionam os procedimentos de forma mais rápida e eficiente, provendo uma solução ágil para o problema do paciente e tornando os resultados mais consistentes.

Integração das informações dos diversos departamentos

E não se trata apenas de acessar apenas os dados dos pacientes. Um sistema adequado permite integrar informações dos diversos departamentos e facilitar a gestão de recursos e operações. Ele possibilita a realização de todos os procedimentos em uma única plataforma e a automatização de processos.

Além de reduzir os erros causados por falhas nos registros, a tecnologia da informação aplicada à saúde favorece a redução da equipe contratada para executar processos burocráticos. Eles podem ser alocados em funções de atendimento e acolhimento ao paciente, contribuindo para a satisfação do público-alvo.

Outro benefício, ainda mais importante, relaciona-se à facilidade para identificar problemas e aperfeiçoar processos. Com informações integradas em um sistema, o gestor obtém análises que permitem visualizar gargalos no atendimento, apontar departamentos em que os custos não são bem gerenciados e áreas com demanda em expansão.

Desta forma, ele pode intervir de forma efetiva para corrigir esses problemas e investir de maneira precisa para equilibrar atendimento humanizado e a saúde financeira da instituição.

Acesso à saúde móvel

A saúde móvel ou mHealth é uma tendência que permite aos profissionais de saúde acessar e enviar informações de forma mais livre.

Por meio de dispositivos conectados à rede, médicos e outros prestadores de serviços podem realizar pedidos, emitir documentação ou solicitar procedimentos remotamente, agilizando o atendimento ao paciente.

Outro aspecto interessante da mHealth é a possibilidade de envolver os pacientes ativamente em seu tratamento. Ela torna possível conectar comunicação e biometria, permitindo o monitoramento de sinais fora das instituições de saúde, como falaremos a seguir.

Dessa forma, os profissionais têm uma visão mais completa das condições do paciente e podem propor intervenções mais adequadas às suas necessidades.

Monitoramento remoto de pacientes

O monitoramento remoto dos pacientes é uma opção que contribui para a melhoria no atendimento e qualidade de vida dos portadores de doenças graves ou crônicas.

Esse tipo de acompanhamento foi potencializado pelo desenvolvimento de sensores e dispositivos que contribuem para o monitoramento dos pacientes. Assim, a equipe responsável pelo atendimento recebe algum tipo de aviso sempre que algo anormal ocorre.

Eles podem enviar alertas quando um paciente cai ou, em uma situação que exige precisão ainda maior, uma atadura com sensores pode sinalizar que o pH da pele aponta para o início de um processo infeccioso em um corte.

Ainda incomum no país, esse tipo de acompanhamento prevê uma comunicação automática entre esses sensores ou dispositivos e um centro médico remoto. Ao primeiro sinal de problema, o paciente ou o seu cuidador são contatados e orientados.

Isso reduz não só os custos para o sistema hospitalar como facilita a rotina dos pacientes, que, muitas vezes, apresentam limitações de locomoção e precisam mobilizar todo o seu entorno para realizar uma visita ao médico.

Esse tipo de monitoramento também dispensa a presença a consultas desnecessárias, pois a equipe já tem todos os indicadores que sinalizam se o paciente precisa de uma intervenção ou não.

Oportunidade de usar a telemedicina

Mesmo quando um país tem uma excelente estrutura para atendimento à saúde em seus grandes centros, dificilmente ele consegue reproduzir as mesmas condições em ambientes rurais ou isolados.

Para que a população desses locais tenha acesso aos mesmos benefícios que os habitantes das áreas metropolitanas, é importante contar com recursos oferecidos pela telemedicina.

Estudos mostram que há um impacto considerável no tempo de recuperação e na redução da taxa de mortalidade de pacientes de unidades de terapia intensiva equipadas com serviços de telemedicina.

No entanto, esses benefícios não são vistos apenas em situações tão complexas. Atualmente, existem até mesmo programas de consulta em vídeo, nos quais os pacientes conversam com os médicos de forma remota.

Como é possível monitorar alguns dados principais por meio da saúde móvel, como comentamos no tópico anterior, muitas queixas podem ser solucionadas dessa forma.

Isso contribui para a comodidade do paciente, que não precisa se deslocar, e até mesmo para reduzir o custo da assistência médica,

Quer ver como esses recursos funcionam na prática? Conheça o case de sucesso do Grupo Fernandes Vieira, saiba como essas soluções já impactaram outras instituições e podem contribuir para a eficiência da sua também.