Estar em conformidade com as melhores práticas para cada setor é fundamental para atingir bons resultados. O compliance em TI facilita o trabalho dessa área e favorece a realização de atividades estratégicas para fornecer o suporte necessário para outras tarefas e departamentos.

É por meio dessa ação que se consegue obter redução de custos e de retrabalho. Também é uma forma de garantir que a empresa obtenha mais sucesso em suas atividades e aumente a produtividade dos colaboradores.

A questão é: o que é compliance e quais práticas devem ser adotadas para o setor de TI? É o que vamos mostrar neste post. Então, que tal saber mais? Acompanhe!

O que é compliance?

Esse termo vem do verbo em inglês to comply, que significa agir conforme uma regra. Assim, adotar a prática do compliance indica que a sua empresa atua de acordo com as melhores práticas do mercado.

Duas finalidades são alcançadas com essa atitude: inovar nos processos e práticas, e seguir as determinações legais para que a empresa evite a aplicação de multas e sanções.

Essa questão é ainda mais importante para empresas públicas ou que possuem parceria com o governo municipal, estadual ou federal. Afinal, é necessário agir de acordo com a lei e ter uma postura ética para assegurar que as ações tomadas estão em conformidade com o que é esperado.

Desse modo, o compliance é um dos pilares da governança corporativa. Esse segundo conceito faz o gerenciamento e é responsável pelo funcionamento condizente da TI dentro da empresa. Além de reforçar a postura ética, também descreve as atitudes a serem tomadas em cada situação de modo alinhado ao planejamento estratégico.

Quando trabalhados conjuntamente, governança corporativa e compliance resultam em um aumento da eficiência operacional e permitem prevenir falhas operacionais, que impactam negativamente os resultados obtidos.

Qual a importância do compliance em TI?

O setor de tecnologia da informação presta suporte a todas as outras atividades empresariais. Por isso, tem um papel estratégico em qualquer organização, independentemente do segmento em que atua e do porte que possua.

Assim, o compliance voltado para a TI atua diretamente com as atividades desse setor, mas também possui um papel relevante para os setores financeiro, contábil, de segurança e saúde do trabalho, jurídico, entre outros.

Um exemplo é o monitoramento dos e-mails enviados por meio do endereço corporativo. Depois de muita discussão em âmbito jurídico, ficou definido que a empresa tem responsabilidade sobre esse assunto.

Por isso, é possível monitorar as mensagens encaminhadas para evitar problemas jurídicos, fiscais e outros que podem interferir nos resultados organizacionais. Entre as leis que estão relacionadas ao compliance voltado para a TI estão:

Desse modo, fica evidente que o compliance ajuda a empresa a manter uma postura ética e profissional por parte de seus colaboradores. Cabe à TI ajudar na implantação e divulgação desse comportamento, além de colaborar para o controle interno a fim de assegurar que todos seguem as diretrizes especificadas.

As 5 melhores práticas de compliance em TI

A compreensão das vantagens proporcionadas por esse conceito leva à definição de quais práticas devem ser adotadas na sua empresa. Confira 5 delas:

1. Use ferramentas de cloud computing

A computação em nuvem reduz o trabalho das equipes e os custos envolvidos em cada atividade. As soluções que utilizam essa tecnologia também facilitam a implantação do compliance, porque as regras tendem a mudar com certa frequência e o cloud computing garante a aderência da organização às diretrizes.

Note que cada alteração exige que os sistemas sejam modificados ou que se desenvolvam novos aplicativos. Assim, o cumprimento às determinações assegura menos riscos e custos.

2. Aposte no Software as a Service (SaaS)

Essas ferramentas fortalecem o compliance porque geram um repositório de dados que pode ser acessado sempre que necessário para consultar os requisitos necessários às regulamentações, políticas de segurança, monitoramento de sistemas e indicadores de cumprimento das medidas.

3. Implante o Bring Your Own Device (BYOD)

Essa ideia vem sendo cada vez mais adotada pelas empresas, mas causa preocupação. O receio é de que os colaboradores utilizem de maneira errada os aparelhos próprios, o que pode gerar problemas aos sistemas e rede corporativos.

Para evitar essa situação, o mais indicado é adotar procedimentos de segurança para que a empresa se proteja de ações maliciosas. Por exemplo: assinatura de termo de responsabilidade, uso de senhas com bloqueio automático nos equipamentos, realização de backups periódicos da rede e instalação no dispositivo do mesmo antivírus usado pela organização.

4. Utilize uma ferramenta para o monitoramento de TI

O objetivo dessa atitude é controlar a infraestrutura, além das aplicações e experiências do usuário. Desse modo, é possível acabar com a ineficiência operacional e ter uma visão simplificada, que ajudará a encontrar as falhas e aumentar a sua produtividade.

O resultado é a possibilidade de focar atividades estratégicas, deixando de lado o serviço de sustentação da infraestrutura de TI, como é o caso do storage, ambiente de virtualização, banco de dados etc. Dessa maneira, consegue-se aplicar o compliance e verificar o que é realmente relevante para o seu negócio.

5. Adote uma solução para a governança corporativa

O compliance é um dos pilares da governança, sendo que ambos os conceitos se complementam. Por isso, uma boa forma de assegurar o primeiro é apostar em uma ferramenta para o segundo.

É assim que você pode obter auxílio para o fornecimento, suporte e implantação para a solução de service desk e tirar a sobrecarga dos usuários, que impactam sua postura e produtividade. Ao mesmo tempo, garante-se menos interrupções, resolução mais rápida dos problemas e mais satisfação dos usuários.

Também é possível gerenciar os diferentes níveis de serviço, já que é fornecida uma visão unificada e permitido o alinhamento do trabalho com os fornecedores. A consequência é a garantia de que o compliance embasa as atividades de ambas as partes, o que traz mais transparência para a relação.

Agora que você entendeu o que é necessário para garantir o compliance em TI, que tal conferir outras dicas relevantes para a sua empresa? É só assinar a nossa newsletter e receber os conteúdos diretamente no seu e-mail.