A computação em nuvem está ganhando popularidade exponencial em todo o mundo, tornando-se uma ferramenta estratégica para as empresas, tanto públicas como privadas. Em 2018, isso não será diferente, já que as tendências em cloud são bastante animadoras e trazem vantagens reais para aqueles que o adotam.

Ainda assim, muitos gestores têm receio de adotar essa solução, principalmente no setor público, no qual todo o sistema é mais burocrático e complexo. Entretanto, a nuvem traz um custo-benefício bastante interessante e é capaz de dar um upgrade representativo em processos e serviços obsoletos.

Ficou interessado? Então conheça as 7 tendências em cloud para 2018 e veja as facilidades que essa inovação pode trazer para todos os tipos de negócios. Acompanhe!

1. Crescimento do IoE

O conceito de Internet of Everything (IoE) — em português, Internet de todas as coisas, vem tomando conta do mercado, graças à imensa capacidade de realizar contínuas análises de dados e contribuir para uma tomada de decisões mais rápida e automatizada.

Na indústria, o IoE é uma crescente tendência para a melhora de processos de controle, como pressão de óleo, água, gás e temperaturas de caldeiras, por exemplo.

Atualmente, algumas concessionárias de energia brasileiras começaram a apostar em medidores inteligentes, que fazem a leitura automática do consumo residencial e industrial em tempo real.

Nesse caso, a IoE prevê informações relevantes, como a demanda de um determinado grupo de consumidores, facilitando a detecção de possíveis fraudes no medidor e o uso de energias alternativas para suprir os clientes nos horários de picos de utilização.

O principal atrativo dessa tecnologia é a convergência que ela proporciona entre pessoas, empresas e processos — em todos os órgãos do Estado — para aprimorar serviços, melhorar o relacionamento com o público e promover uma redução de custos operacionais, o que faz toda a diferença em tempos de flutuações e incertezas econômicas.

2. Surgimento de nuvens híbridas — uma das tendências em cloud mais fortes para 2018

Até pouco tempo atrás, a aplicação híbrida era vista com desconfiança pelo mercado, devido às vulnerabilidades e o receio de vazamento de informações confidenciais sobre pessoas, empresas e assuntos governamentais.

No entanto, as fornecedoras desse serviço passaram a investir no aperfeiçoamento de aplicações de diferentes estruturas em uma única plataforma, com nuvens públicas e privadas, para que seu gerenciamento seja realizado de maneira independente, evitando a exposição de dados sigilosos.

Nesse contexto, surge uma nuvem híbrida mais atraente, capaz de operar com dados da solução pública e da privada em conjunto, sem comprometer a segurança das informações.

3. Analytics com inteligência artificial (IA)

Esse é um conceito que já faz parte da vida cotidiana de pessoas e empresas há um certo tempo, mas está com a tecnologia cada vez mais avançada ao se aliar às ferramentas analíticas de TI, permitindo o cruzamento de dados e confirmação de informações importantes.

Por meio da análise preditiva, gestores receberão relatórios altamente precisos sobre a organização, tornando possível automatizar diversos processos, reduzindo a burocracia e elevando a rapidez das operações entre diferentes setores e órgãos governamentais.

Além disso, os sistemas de IA são capazes de analisar o comportamento de aplicações, serviços e clientes, reconhecendo comportamentos anômalos, que possam interferir na disponibilidade do servidor e prever possíveis falhas na infraestrutura de TI, antes mesmo que elas ocorram.

4. Adoção de serverless computing

Uma das maiores vantagens da tecnologia em nuvem é a sua facilidade de uso e para adquirir ferramentas adicionais e pagar apenas por aquelas que são efetivamente utilizadas. Isso fica mais evidente na computação sem servidor (em inglês, serverless computing).

Com ela, pode-se gerenciar e expandir recursos sob demanda com um provedor de nuvem, gerando maior economia e menor dependência do setor de tecnologia da informação (TI).

Por isso, esse modelo é bastante interessante para empresas que trabalham com orçamentos apertados, mas que desejam adotar a inovação para agilizar e otimizar processos.

5. Qualidade da internet e aumento de 5G

Em 2018, uma das novidades mais esperadas é a melhora da qualidade e velocidade de conexão das redes.

Isso é importante para que as aplicações e soluções corporativas possam atuar com o máximo de sua capacidade, aumentando a velocidade da troca de dados e na comunicação com o público interno e externo.

Com uma internet rápida e o uso do 5G, pode-se contar com páginas altamente responsivas e a expansão na mobilidade, proporcionando maior facilidade para órgãos públicos e cidadãos, que podem interagir de maneira mais simples, além da possibilidade de agendar serviços, tornando o sistema público mais eficiente.

6. Maior capacidade de armazenamento nas nuvens

A cada ano, as organizações trabalham com um massivo volume de dados, que devem ser processados com alta performance para oferecer os resultados esperados.

No setor judiciário, por exemplo, são armazenados milhares de processos diariamente. Com um sistema eletrônico, a digitalização de páginas e possibilidade de leitura e avaliação por parte de juízes, advogados, processados e réus se torna mais simples e acessível para todos os interessados.

Para atender a essa demanda, as fornecedoras dos serviços em nuvem estão investindo em servidores cada vez mais potentes e robustos, com capacidade escalável de armazenamento e confiabilidade.

Afinal, a nuvem deve estar disponível para seus usuários 24 horas por dia, 7 dias por semana.

7. Aumento da estabilidade e segurança da cloud computing

Segurança é palavra de ordem quando se fala na computação em nuvem. Os provedores do serviço apostam em ferramentas e atualizações constantes para a correção de vulnerabilidades no sistema.

Isso é altamente relevante ao escolher uma prestadora de serviços de cloud computing de qualidade. Ameaças virtuais são lançadas todos os dias e, para proteger seus clientes, os fornecedores trabalham com pessoas capacitadas para elevar a proteção do sistema. O compliance também chegou à computação em nuvem.

Para que as organizações brasileiras se tornem mais ágeis e eficientes, é preciso apostar nas tendências em cloud. E a nuvem é capaz de transformar sistemas tradicionais e burocráticos em inovadores e inteligentes, determinando a funcionalidade e redução de custos com as facilidades da era digital.

Você gostou do artigo de hoje? Pensa em usar a cloud computing em 2018? Então deixe um comentário e compartilhe a sua opinião, ideias e dúvidas sobre o assunto!