A tecnologia é uma grande aliada das empresas, porém, não podemos esquecer que existem inúmeros tipos de crime na internet e que eles podem gerar consequências drásticas para as empresas e para os sócios.

Por ser assim, é preciso fazer um uso consciente dos recursos e ficar atento às regras de segurança indicadas em programa ou site. Além disso, é preciso conhecer os crimes comumente praticados para adotar medidas de prevenção.

No texto de hoje, falaremos sobre o assunto, confira.

Quais os principais crimes cometidos na internet?

Por mais que não pareça, os crimes cibernéticos, que são crimes cometidos pela internet, são tão comuns que já existem até delegacias próprias para a realização de denúncias.

Assim como os crimes comuns eles podem atingir uma ou várias pessoas e podem ser realizados em várias etapas ou de uma só vez. A particularidade deles é que como são aplicados a partir da internet, os responsáveis podem se utilizar de redes públicas, privadas ou domésticas.

Eles estão tipificados no Código Penal Brasil e possuem relação com o descumprimento dos princípios básicos do uso da internet, que estão descritos na Lei nº 12.965/2014, conhecida como Marco Civil da Internet (MCI). 

É exatamente pela amplitude de possibilidade que precisamos ter atenção e conhecer os crimes mais comuns. Veja a relação:

1. Injúria e difamação

O Código Penal Brasileiro dispõe sobre a injúria e a difamação nos arts. 139 e 140 e esclarece:

“Art. 139. Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação: (…)”

“Art. 140. Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro (…)”

Isso significa que divulgar informações falsas em relação a uma pessoa ou a uma empresa é crime e pode levar a diversas penalidades. Quando a divulgação é realizada por meios de comunicação tradicionais, como conversas ou jornais impressos, o crime é comum, mas se ela ocorrer por meio da internet, será um crime virtual.

Vale destacar que as vítimas podem acessar o poder judiciário e requerer indenização e reparação do dano. Para isso é essencial procurar uma Delegacia e registrar a denúncia.

Caso o problema aconteça com você ou com o seu negócio, tome providências rápidas e evite que a informação mentirosa chegue a mais pessoas e cause transtornos.

Para evitar transtornos e dores de cabeça o ideal é adotar medidas preventivas e fazer um controle intenso sobre o conteúdo que você divulga na internet. Analisar os textos e pensar no impacto que eles podem causar é extremamente importante. 

2. Furto de dados

Outro crime que acontece com frequência na internet é o de furto de dados. Ele é enquadrado como estelionato e definido da seguinte forma pelo Código Penal Brasileiro:

“Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento.”

Esse crime, normalmente, é cometido a partir da criação de sorteios ou de prêmios em páginas de redes sociais. Em troca de possíveis premiações os interessados precisam se cadastrar e instalar alguns aplicativos, tendo que inserir dados pessoais, endereço, CPF, datas de aniversário etc.

3. Utilização de softwares falsos

Existem alguns softwares que quando são instalados em um computador permitem o acesso a todos os dados pessoais registrados na máquina. Com os dados em mãos é possível falsificar cartões de créditos, realizar transações bancárias e muito mais.

Então, antes de instalar qualquer programa, pesquise a confiabilidade dele. É possível fazer isso a partir de pesquisas no Google ou de conversas com o seu suporte de TI.

O crime é mais comum do que pode parecer e está previsto no art. 154-A do Código Penal Brasileiro, nos seguintes termos:

“Art. 154-A. Invadir dispositivo informático alheio, conectado ou não à rede de computadores, mediante violação indevida de mecanismo de segurança e com o fim de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa ou tácita do titular do dispositivo ou instalar vulnerabilidades para obter vantagem ilícita: (…)

Esteja sempre atento aos riscos e evite instalar programas com nomes desconhecidos. O roubo de dados pode demorar anos para ser descoberto e você pode ter prejuízos enormes em razão dele.

Para as empresas os danos podem ser ainda maiores do que para as pessoas físicas, já que os computadores costumam guardar informações confidenciais e dados bancários de maior relevância.

4. Criação de perfis falsos

Como a criação de contas nas redes sociais é bem rápida e simples, é normal que pessoas mal-intencionadas se utilizem disso para prejudicar pessoas físicas ou empresas.

Ao criarem contas utilizando nomes falsos elas podem divulgar conteúdos mentirosos e gerar vários problemas. Imagine se um perfil falso divulga promoções e descontos que não estão sendo oferecidos pela sua empresa?

Então, cuidado ao usar a internet. Sempre coloque informações que possibilitem a conferência da procedência. Uma estratégia é oferecer telefones para contato e colocar avisos nas suas páginas: “perfil oficial” ou “não realizamos promoções online” etc.

5. Apologia ao crime

É comum a criação de páginas e perfis que estimulem a prática de crimes como pedofilia, racismo, furtos etc.

Esses perfis, geralmente, possuem acesso privado e os membros compartilham dicas e sugestões para a prática de atos ilícitos. O problema é que além de serem totalmente ilegais, eles podem envolver pessoas que sequer ingressaram como membros.

Em caso de suspeita de páginas com conteúdo desse tipo o ideal é realizar a denúncia imediata do site ou da página na rede social. Essas denúncias costumam ser verificadas com rapidez e contribuem muito para o controle e para a segurança das redes.

Também é importante procurar as delegacias de crimes cibernéticos e registrar reclamações. Além de possibilitar a investigação, essa medida auxilia nas estatísticas e aumenta as discussões sobre mecanismos de proteção aos usuários.

6. Plágio

Outro crime cometido com frequência e que pode trazer grandes dores de cabeça é o plágio, ou seja, a cópia de informações veiculadas por terceiros sem a indicação da fonte.

O crime está previsto na Lei nº 9.610/1998, que dispõe sobre a proteção dos direitos autorais e aquele que o comete pode sofrer pena de detenção e ser obrigado ao pagamento de multa.

Para evitar problema para a sua empresa, tenha o cuidado de verificar todas as divulgações antes de publicar e lembre-se de colocar as referências de pesquisa e utilizar as normas adequadas para citações.

Em caso de dúvidas, verifique o formato da Agência Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. Lembre-se que o crime, além de gerar penalidades graves, pode prejudicar o nome e a credibilidade do seu negócio no mercado.

Agora que você conhece os principais tipos de crime na internet, fique atento para não ser vítima ou autor de nenhum deles. Isso pode trazer inúmeros transtornos e dores de cabeça. Cuide diariamente das suas informações e não deixe de investir na segurança dos seus dados!

Este texto o ajudou? Então, continue no blog e veja os 6 sinais de que o seu suporte de TI está falhando.