O aumento da capacidade da internet, a popularização dos dispositivos móveis e o crescimento das mídias sociais, mudou ou a forma como nos comunicamos, nos entretemos e consumimos.

Durante décadas, para comprarmos algo, tínhamos que nos deslocar até um estabelecimento comercial, ou receber um vendedor na porta de casa, em um horário determinado. Hoje, temos uma infinidade de possibilidades quando queremos adquirir um produto ou serviço, e podemos fazer isso a qualquer momento. O consumidor 5.0 não se adéqua ao modelo de comércio tradicional.

O aumento da oferta e a busca pela praticidade moldaram esse novo tipo de consumidor, que é mais participativo e busca muito mais do que um produto: ele busca identificação e experiência.

Neste texto, você vai conhecer algumas características desse novo consumidor, entendendo melhores seus hábitos e diferenças em relação às gerações anteriores. Confira.

Quem é o consumidor 5.0?

Desde os primórdios, a relação entre compradores e vendedores se deu de uma forma básica: o consumidor ia até um local determinado, poderia ser uma feira, loja, aldeia, porto etc. Analisava um produto, escolhia, comparava os preços, negociava e comprava, independentemente do que fosse utilizado como moeda de troca.

Esse padrão perdurou por séculos, mudando apenas as forma de publicidade, que começou com o tradicional boca a boca e culminou na criação dos anúncios publicitários nas diversas mídias.

Esse modelo foi aprimorado, estudado e deu resultado, mas em poucas décadas, o mundo sofreu uma das maiores transformações nessa relação comercial, em um pequeno intervalo de tempo, potencializado pela a popularização dos computadores e a criação da internet moderna, pelo físico Tim Berners-Lee.

Abria-se caminho para o aparecimento de uma nova geração, que nasceu e cresceu em um mundo dominado pela tecnologia, e que tem hábitos totalmente diferentes das gerações anteriores, estamos falando dos Millenials.

Podemos dizer de forma resumida, que o advento da computação pessoal, crescimento da internet, da mobilidade e a globalização, foram os ingredientes que contribuíram para mudar o consumidor de posição em relação às marcas, deixando de ser um mero receptor, para se tornar um agente. Essa alteração brusca moldou um novo tipo de consumidor, o 5.0.

Quais são as principais características do consumidor 5.0?

A primeira característica é a liberdade de consumir na hora que quiser, pois a internet quebrou a barreira do horário comercial, do trânsito, das ruas lotadas em épocas de grande fluxo de compras, da lojas sem estoque etc.

O Consumidor 5.0 vive em um mundo em que ele pode tirar um smartphone do bolso e comprar praticamente qualquer produto, além de acessar quase todo tipo de serviço, seja de entretenimento, educação, trabalho, etc.

Esse cenário começou a mudar com o advento dos e-commerce, mas ganhou muito mais força conforme as redes sociais passaram a agregar cada vez mais funções. Atualmente, uma empresa já é capaz de completar a jornada de marketing, venda e atendimento em uma única plataforma.

Isso significa que o consumidor que está em sua rede social, conferindo as novidades e sobre seus amigos, familiares e artistas favoritos, terá acesso a um a postagem patrocinada, e se clicar nela, poderá adquirir um produto, se comunicando diretamente com a marca, tudo por meio da própria rede social.

O consumidor agora é agente ativo na elaboração dos produtos e serviços

Durante um bom tempo a pesquisa de preço era um fator decisivo na escolha de um produto, o comprador visitava várias lojas e tentava fazer uma de custo-benefício, muita das vezes com a influência de um vendedor.

Hoje, o consumidor antes de se decidir, faz uma pesquisa sobre a marca, verifica os seus valores e busca opinião de pessoas em que ele confie. Não surpreende que temos, atualmente, uma grande ascensão dos chamados influenciadores digitais, que estão sendo cada vez mais requisitados para campanhas publicitárias.

Temos também um crescimento de sites que são especializados em receber reclamações sobre marcas, serviços e produtos e que estão se tornando uma das principais fontes de pesquisas de satisfação dos consumidores.

Nesse cenário, cabe aos CEOs e diretores de marketing das empresas entenderem que o consumidor deixou de ser um mero receptor de propagandas e comprador de produtos. Não adianta tentar persuadi-los da forma tradicional, pois eles já chegam aos sites e lojas com informações valiosas sobre os produtos e marcas.

A busca por valores

O preço e a qualidade ainda têm uma pequena influência na decisão de compra, mas esses atributos dividem o protagonismo na cabeça dos consumidores com outro quesito, que não era discutido antes do fenômeno da internet, os valores que a marca representa.

O consumidor 5.0 preza pela relação emocional com a sua marca preferida e está disposto a pagar mais caro por ela, e até a defendê-la. No marketing isso é conhecido como love branding — DC ou Marvel, PlayStation ou XBox, FIFA ou PES? Esses são alguns dos exemplos em que os fãs “tomaram” as marcas para si, fazem publicidade espontânea e são consumidores ativos.

Muito mais do que um comprador, o consumidor 5.0 passa a ser um parceiro da marca, utilizando todas as ferramentas possíveis para conhecê-la e defendê-la, se necessário.

Como atingir o consumidor 5.0?

Agora que você já entendeu melhor o conceito de consumidor 5.0, suas principais características e o meio de aquisição de produtos e serviços que eles utilizam, vamos junto conhecer a principal estratégia para atingi-lo. Confira.

Repense as estratégias de marketing

A publicidade tradicional está cada vez menos eficaz, pois, além dos resultados serem difícil de serem mensurados, elas são caras.

A verdade é que cada vez mais as propagandas massivas na TV e rádio estão perdendo espaço para as estratégias segmentadas de marketing digital. Os influenciadores já disputam as campanhas publicitárias com artista oriundos da TV, e os mais populares rivalizam com as próprias emissoras de TV.

A publicidade digital oferece a oportunidade de análises de dados, identificação do público-alvo, segmentação, e mensuração de resultados. Coisas que são difíceis de mensurar no marketing tradicional.

Dificilmente alguém vai em uma loja e diz que quer comprar um determinado produto, porque viu seu comercial na TV. Se por acaso ele disser, quais serão as possibilidades do dono da loja ligar para emissora, avisando da conversão? Na internet todas as movimentações são rastreáveis e os dados ficam registrados, permitindo um trabalho de gestão e marketing mais apurado, orientado a dados.

Mais experiência e menos produto

O foco deve ser o engajamento, é necessário que a empresa esteja em contrato direto com seu público, sem intermediários. Quando a marca consegue transmitir os seus valores, utilizando a linguagem do seu público e mostrando transparência, ela está dando um grande passo para conquistar o consumidor 5.0.

Nesse cenário, o produto deixa de ser apenas uma mercadoria e passa a se tornar uma experiência para o consumidor, que passa a se sentir parte da marca.

Para que a marca consiga atingir esse objetivo, ela terá que dispor de ferramentas e profissionais qualificados, para fazer as análises dos dados. O Big Data oferece um mundo de informações, para que a empresa entenda os anseios e valores dos consumidores, resta aos profissionais saberem trabalharem esses dados, com um bom planejamento estratégico.

Como vimos, a chegada do consumidor 5.0 representa uma nova era para as empresas que querem se manter competitivas. É preciso colocar o pé na realidade e se conectar com esse novo público, inovando, deixando de pensar exclusivamente em números e conversões, focando em entregar experiências.

Gostou do post? Então curta agora mesmo a nossa página no Facebook e fique por dentro das nossas novidades.