A importância da segurança da informação das organizações sempre foi muito clara. Ao longo do tempo, documentos e dados confidenciais sempre foram colocados em ambiente seguros e protegidos de diversas formas. Isso não é diferente na era da tecnologia — na realidade, é até mais necessário.

Com o avanço tecnológico promovido pela transformação digital, as organizações passaram a adotar novas ferramentas, soluções e sistemas que permanecem conectados à rede de dados de forma contínua. Dessa forma, a maior parte das informações sigilosas ficam em ambientes virtuais. Esse cenário otimiza a comunicação e processos da gestão, porém, também cria a possibilidade de ataques cibernéticos que tentam capturar esses dados, gerando prejuízos e problemas para o negócio.

Essa não é a única preocupação relacionada à perda de informações e comprometimento de dados com a qual um negócio precisa lidar. Muitos colaboradores mudam de local de trabalho e levam consigo conhecimentos confidenciais para a concorrência, e alguns são distraídos e baixam arquivos com malwares e vírus que criam os mesmos problemas.

Para lidar com tudo isso, é necessário investir em uma gestão da segurança da informação na empresa. Sua construção deve ser feita de forma estratégica, considerando todas as vertentes de proteção, formas de educar o corpo de funcionários e planos de recuperação de dados em casos de incidentes.​

Pensando nisso, descrevemos abaixo as principais informações sobre segurança da informação, facilitando a criação de uma gestão eficiente dentro da organização. Acompanhe!

O que é segurança da informação?

O termo segurança da informação é usado para se referir a todas as ações e atividades feitas com o objetivo de proteger dados e sistemas de uma organização ou pessoa. Dessa forma, praticar a segurança da informação implica adotar mecanismos e ferramentas que evitam a perda de dados e comprometimento de suas informações. Uma boa gestão da área segue os seguintes princípios:

  • confidencialidade — garante que os acessos sejam permitidos apenas
    às pessoas corretas;

  • autenticidade — garante que os dados dentro de um processo não sofram mutações e modificações indesejadas;

  • integridade — garante a preservação das características originais de uma informação e processos;

  • conformidade — apresenta regulamentos, normas e leis que devem ser seguidos dentro de processos de proteção;

  • disponibilidade — garante que usuários autorizados sempre possam realizar acessos;

  • irretratabilidade — garante que as autorias de transações sejam sempre comprovadas.

Quais são as camadas da segurança da informação?

A gestão da segurança pode ser divida em 3 camadas que envolvem proteção de dados de ataques cibernéticos, falhas dos colaboradores e ações de má-fé. Confira:

Física

Estrutura focada na proteção do ambiente físico dos dados ou sistemas que os suportam — como hardwares. Deve-se criar um local preparado para lidar com ameaças naturais, como desabamentos, incêndios e alagamentos. Além disso, é necessário ter segurança contra acessos de usuários não autorizados.

Lógica

Camada de proteção de softwares e sistemas usados para a movimentação e armazenamento de dados da organização. É necessário manter seu funcionamento sem riscos, realizando processos de backup periódicos, inclusão de senhas e validações de acesso, monitoramento, otimização e atualizações que reduzem as chances de ataques cibernéticos.

Humana

Esse é nível de proteção relacionado aos usuários dos sistemas e equipamentos das empresas. Deve ser pensado para instruir o uso correto da informação, bem como definir as ações de proteção das camadas anteriores.

Por que se preocupar com a segurança de dados?

O Brasil é considerado um dos países que mais recebe ataques cibernéticos no mundo. Esse número é preocupante e crescente, por isso, é fundamental investir para que sua organização não seja a próxima.

Além disso, a gestão eficiente da segurança da informação garante benefícios para a organização, tais como:

Proteção para os ativos da empresa

O investimento feito garante que dados e ativos da organização sejam protegidos, como informações de cadastros de clientes, estratégias, números de desempenho, boletos e pagamentos, contratos, cotações de produtos e serviços, propostas e outros dados que não deveriam ser divulgados ao público.

Cumprimento da ética

Existe um compromisso criado quando uma organização recolhe e armazena as informações de outras pessoas e empresas. Eticamente, espera-se que ela tenha os cuidados e capacidade necessária para manter esses dados em segurança, evitando constrangimentos e problemas.

Aumento da confiança

Por fim, a organização que investe em segurança da informação cria uma imagem positiva e segura para as pessoas que usam seus serviços e produtos. Em alguns segmentos, o compartilhamento de dados pessoais e confidenciais é essencial para a relação criada, por isso, quanto maior a confiabilidade do local, melhor essa experiência.

Como aumentar a segurança da informação de uma organização?

Existem algumas práticas que aumentam a eficiência de uma gestão da segurança da informação. Confira as principais:

Infraestrutura de qualidade

Para garantir um alto nível de segurança, é necessário investir em uma infraestrutura robusta e de qualidade. Portanto, é preciso construir uma arquitetura eficiente, processos, práticas e design funcionais, pensados por profissionais da área.

Política de Segurança da Informação (PSI)

A PSI é um documento que estabelece todas as regras, normas e boas práticas de uso, criação, movimentação e alteração de informações da organização. Ele indica as tecnologias adotadas e formas corretas para seu uso, bem como as penalizações para quem não as segue.

Além de criar o documento, é preciso treinar os usuários, certificando-se de que eles o compreendem. Além disso, é necessário que ele seja atualizado periodicamente.

Restrições e regras de acesso

Outra prática necessária é a criação de regras e restrições de acessos à informação. O ideal é que sejam criadas senhas e níveis de liberdade para cada tipo de funcionário, evitando que ações de má-fé ocorram.

Contratos de confidencialidade

Usar contratos de confiabilidade é uma prática interessante para evitar que profissionais que saem da empresa compartilhem informações confidenciais no mercado. Esse é um documento com validade legal que estipula as regras e limites para a transmissão de dados do negócio.

Tecnologias focadas em segurança de dados

Existem diversas tecnologias e empresas focadas na eficiência da segurança da informação. Entre elas estão: criptografia de dados, assinaturas eletrônicas, antispywares, conexões seguras, antivírus e armazenamento em nuvem. O ideal é procurar por aquelas que fazem sentido e atendem às necessidades de cada organização.

Gestão de risco

Por fim, também é necessário investir em gestão de risco, ou seja, ter um plano e práticas para lidar com possíveis problemas que a organização pode enfrentar e que comprometem a segurança da informação.

Para isso, o indicado é fazer um mapeamento de todas as possibilidades de risco, mesmo as mais improváveis, e determinar as mudanças necessárias para minimizá-los, como alterações na PSI, novas ferramentas e softwares.​

Se você gostou de saber mais sobre a segurança da informação e sua importância no mercado, não deixe de compartilhar este post em suas redes sociais e ajudar outras pessoas a entender esse conceito!