Nas últimas décadas, a tecnologia avançou de tal forma que, hoje, mal conseguimos imaginar como dávamos conta de nossas demandas diárias sem a internet e a comunicação praticamente instantânea. Essa tendência se mostra cada vez mais forte e, logo, a ideia de um mundo totalmente conectado à internet vai virar realidade.

Nesse contexto, enquanto as empresas buscam se adaptar a essa nova realidade, outras surgem no mercado trazendo produtos e/ou serviços inovadores que nasceram dessas próprias tecnologias. Com isso, muitos negócios já existentes e que não se adaptaram à tecnologia ficam para trás.

Esse fenômeno é a chamada disrupção digital, que você precisa entender melhor se não quiser que seu hospital fique de lado enquanto a área de saúde avança. Para tanto, além de compreender o conceito, você também deve saber como usar a tecnologia a favor da sua gestão. Quer ficar por dentro? Então, continue a leitura e mãos à obra!

O que é a disrupção digital?

Uma rede social voltada exclusivamente para o compartilhamento de vídeos entre seus usuários, sem garantia alguma de qualidade, feitos em casa e sem recursos? Há alguns anos, a ideia parecia louca para muita gente. Hoje, o YouTube é a maior rede social de vídeos do mundo, com muitos produtores de conteúdo ganhando a vida por meio dele.

O YouTube, portanto, pode ser classificado como uma empresa disruptora, ou seja, que causa a disrupção digital. Conforme a rede social cresceu, os estúdios tiveram que aprender a lidar com ela e com os efeitos que trouxe para a produção de vídeos.

O professor Clayton Christensen, da Universidade de Harvard, cunhou o termo “disrupção” em 1995 para descrever empresas inovadoras que oferecem produtos acessíveis, criando um novo mercado de consumidores e desestabilizando as companhias que, até então, detinham a liderança do setor.

Na era analógica, essas disrupções se davam de maneira mais lenta. No mundo digital, entretanto, tudo é mais intenso e pronunciado, e a internet representa um universo praticamente infinito de oportunidades e reviravoltas.

Enquanto startups surgem trazendo novas demandas, as empresas “tradicionais” tentam apostar em soluções disruptivas para não ficar para trás.

Como fica a área de saúde diante dessas mudanças?

A área de saúde é repleta de companhias tradicionais, com anos de mercado que construiu a sua reputação e integridade. Entretanto, isso faz com que essas empresas tornem-se acomodadas, sem muito interesse de ir atrás de novas soluções, de alternativas inovadoras e produtos/serviços revolucionários e tecnológicos.

O resultado é que, nos próximos anos, a área deverá sofrer grandes disrupções, especialmente na indústria farmacêutica e de cuidados com a saúde. Muitos nomes desses setores já são centenários, ou seja, se estabeleceram na área de tal forma que não sentem a necessidade de mudar. A realidade, entretanto, é bastante diferente!

Com o fim das patentes, como uma empresa tradicional pode competir com uma novata que oferece um produto exatamente igual, mas com preço reduzido? De forma geral, não consegue. Atualmente, produtos advindos de empresas de renome internacional ou daquelas menos conhecidas já não podem ser diferenciados uns dos outros.

E a necessidade de inovar não vem apenas dos avanços tecnológicos! Outro ponto que força as empresas de saúde a pensar em novas soluções é o aumento da expectativa de vida da população. Com uma população maior de idosos, os pacientes passam a ter outras necessidades, e você deve estar preparado para ser capaz de atendê-las.

Como aprimorar a gestão hospitalar por meio da tecnologia?

Veja 6 passos para fugir da disrupção digital na área da saúde:

1. Conheça as necessidades dos pacientes

A disrupção digital vem justamente das novas alternativas para atender às demandas do público consumidor. Portanto, você deve ficar atento para conhecer e se antecipar às necessidades dos seus pacientes.

Para tanto, incentive os feedbacks e sugestões, mas, ainda mais importante, fique atento aos comentários do dia a dia que, muitas vezes, revelam demandas que os próprios pacientes nem perceberam!

2. Saiba o que a concorrência está fazendo

Além de buscar a inovação, você também não pode deixar que a concorrência fique à frente do seu hospital.

Para isso, você deve saber o que eles estão fazendo e oferecendo para seus próprios pacientes. Dessa forma, você poderá verificar o que pode ser também implementado no seu estabelecimento de saúde e procurar formas de se destacar.

3. Valorize os pacientes de terceira idade

Com uma porcentagem cada vez mais alta de população idosa, novas necessidades surgem na indústria da saúde. Para manter-se relevante, você precisa entender isso.

Doenças associadas ao envelhecimento, como Alzheimer e demência, se tornam mais recorrentes. Enquanto isso, doenças crônicas também se acentuam, pois passam a atingir mais pessoas e os pacientes ainda podem ter a possibilidade de viver mais.

4. Invista na prevenção

Para diminuir os gastos da área de saúde — com a lotação dos hospitais e com os problemas de saúde —, de maneira geral, uma das maiores tendências do setor é investir cada vez mais na prevenção, e não no tratamento.

Isso poderá ser alcançado por meio de Big Data, sistemas de gestão e sistemas de monitoramento. Com isso, os hospitais e demais instituições de saúde serão capazes de se antecipar e atuar mais ativamente na prevenção, diminuindo, assim, os gastos e melhorando a qualidade de vida dos pacientes.

5. Não se limite a digitalizar processos tradicionais

A tecnologia facilitou muitos processos que, em nosso dia a dia profissional, anteriormente realizávamos manualmente. Entretanto, é um erro acreditar que a revolução digital se limita à digitalização de demandas que já nos eram familiares.

A disrupção digital nasce da criação e percepção de demandas que surgem a partir da tecnologia disponível, e não somente o contrário. Portanto, aproveite o mundo digital e o avanço da tecnologia para trazer possibilidades até então impensáveis para seu hospital.

6. Invista na integração

Um dos maiores benefícios da internet e da tecnologia atual é a possibilidade de integração. Estratégias mobile, ações nas redes sociais, sistemas de gestão ou de monitoramento, Big Data e até conceitos mais avançados, como inteligência artificial e Internet das Coisas trabalham sempre lado a lado.

O resultado é uma experiência completa para você, que poderá gerenciar o hospital, a equipe e os pacientes com todas as informações necessárias em mãos. Além de otimizar o tempo, isso também permite a tomada de decisões mais efetivas e uma análise mais completa do cenário atual e das previsões para o hospital.

E então, pronto para impedir que a disrupção digital na área de saúde deixe seu hospital para trás? A partir das nossas informações e dicas, você será capaz de se juntar à revolução digital! Tem outras dúvidas sobre o assunto? Experiências relevantes para compartilhar conosco? Deixe seu comentário e entre para a conversa.