O setor de TI tem um papel fundamental para o setor público. São os profissionais da área que auxiliam os demais servidores com a implantação de novos sistemas, gerenciamento das informações e segurança dos dados. Contudo, muitas vezes, a equipe fica sobrecarregada e não consegue fazer a gestão de infraestrutura de TI com qualidade.

Logo, pode ser muito mais vantajoso para a organização investir na terceirização de alguns serviços para evitar a indisponibilidade da infraestrutura de TI, a queda de servidores ou ataques virtuais. Continue a leitura e descubra se essa pode ser a melhor opção para a sua instituição!

Como funciona a gestão de infraestrutura de TI?

A contratação de uma equipe especializada para desempenhar a gestão de infraestrutura de TI permite que a organização alinhe melhor as estratégias e o uso de recursos tecnológicos.

Em alguns casos, esse serviço funciona como um suporte técnico para os demais servidores. A principal função é auxiliar os demais colaboradores sobre as boas práticas de uso das ferramentas tecnológicas e dos sistemas operacionais.

Entretanto, a equipe especializada pode ir além dessas funções. Ela tem capacidade para auxiliar o setor público a melhorar a segurança da informação e garantir a disponibilidade e confiabilidade da infraestrutura de TI por meio da unificação e gerenciamento centralizado.

Para complementar, ainda é possível trabalhar na padronização de processos para assegurar maior flexibilidade e agilidade no uso de recursos. A empresa terceirizada também atua nas seguintes situações:

  • resolução de problemas do dia a dia;

  • melhora das potencialidades da organização;

  • monitoramento sobre o desempenho dos sistemas;

  • redução das falhas;

  • prevenção de problemas;

  • aumento no desempenho dos serviços;

  • apoio para as implantações de novas soluções em TI.

Por que as empresas devem adotar a gestão de infraestrutura de TI?

Ao contratar uma empresa especializada para esse serviço, a equipe de TI do órgão público fica disponível para atender às necessidades pontuais dos servidores. Isso também evita que o gestor precise contratar cada vez mais pessoas para dar conta de todas as demandas internas.

A medida ainda permite que a organização possa dar mais celeridade aos processos, garantindo mais eficiência e agilidade. Consequentemente, o serviço também melhorará a imagem da organização governamental perante a sociedade.

Veja um exemplo: o Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) precisava melhorar a disponibilidade dos serviços e a experiência do usuário. A intenção era garantir mais rapidez e estabilidade nos sistemas a fim de evitar atrasos nos serviços de quem dependia desse acesso. Com uma gestão de infraestrutura, o órgão conseguiu evitar as indisponibilidades e oferecer mais agilidade aos usuários.

Resumindo, quanto antes a organização pública adotar uma gestão de infraestrutura de TI, melhores serão os resultados em relação à qualidade dos serviços e disponibilidade de sistemas.

Quais são os principais benefícios para as organizações?

A gestão de infraestrutura de TI pode oferecer muitas vantagens para a instituição, desde o aumento da produtividade até a redução de custos. Entenda mais sobre o assunto:

Controle e otimização de recursos

Uma gestão eficiente consegue aumentar a vida útil dos equipamentos ao adotar boas práticas de uso dos recursos. Isso pode ser feito ao instituir políticas de orientação dos demais servidores públicos sobre situações básicas como: correto desligamento dos computadores, menor consumo de energia, limpeza e conservação dos itens.

Com cuidados simples é possível estender o tempo de utilização das máquinas e evitar novas compras, o que geraria despesas para a instituição pública.

Segurança das informações

Uma equipe terceirizada precisa se manter ainda mais atualizada sobre os novos procedimentos tecnológicos, vulnerabilidades e crimes virtuais. Desse modo, a gestão de TI tem como papel fundamental instituir políticas mais rígidas para o uso dos equipamentos do setor público.

Uma gestão de TI eficiente consegue controlar o uso dos equipamentos dentro e fora da instituição, impedindo que sejam feitos downloads de ferramentas proibidas. Esse monitoramento também evita o uso indevido de hardwares ou acesso a websites maliciosos.

Uma opção, por exemplo, é criar níveis de acesso às informações mediante uso de login e senha. Como isso funciona? Um auxiliar administrativo não precisa visualizar os mesmos dados que um diretor, pois ele não terá a responsabilidade de tomar decisões estratégicas para a organização. Sendo assim, seu acesso será limitado apenas ao que se relaciona à sua função.

Além disso, a equipe de TI pode criar barreiras e monitorar os sistemas para evitar os ataques cibernéticos. Isso aumenta a segurança das informações e garante a credibilidade da organização.

Redução de custos

A gestão de infraestrutura de TI também favorece a redução de custos no setor público. Como isso é possível? Ela faz o planejamento, monitoramento e avaliação de todos os recursos necessários para o funcionamento das atividades.

Dessa maneira, o gestor não precisará investir em novos equipamentos sempre que um servidor público solicitar. A situação será avaliada para verificar a real necessidade do investimento.

Eficiência e produtividade

A equipe especializada faz um mapeamento dos riscos da organização e cria estratégias para evitar que os problemas aconteçam. Ao monitorar o desempenho da infraestrutura, por exemplo, é possível identificar os problemas e evitar que haja uma indisponibilidade.

Como consequência, isso garante mais eficiência dos sistemas, da infraestrutura e dos servidores, o que resulta em mais produtividade para todos.

Alinhamento da TI com as principais metas da organização

O contrato de serviços terceirizados é realizado no modelo de service level agreement (SLA). Ele estabelece, por exemplo, o nível de serviço que será oferecido e o desempenho esperado pela equipe.

Ademais, ele favorece a criação de métricas de resultados para acompanhar essa eficiência. Dessa forma, será possível visualizar se as implementações tecnológicas contribuíram para aumentar a produtividade da equipe, ou se elas reduziram as indisponibilidades dos sistemas, por exemplo.

Esse modelo de contrato permite alinhar a TI com os demais setores do órgão público, o que resulta na criação de metas e prazos para alcançá-las. Em longo prazo isso resultará no aprimoramento dos serviços, qualidade do atendimento e satisfação dos cidadãos.

Portanto, investir na gestão de infraestrutura de TI pode ser uma boa opção para o gestor que precisa garantir a credibilidade da instituição e a eficiência nos processos. Que saber como prevenir vulnerabilidades no setor público? Entre em contato e conheça os nossos serviços!