Cada vez mais, as instituições devem investir em medidas diferenciadas para destacar-se em meio à concorrência e conquistar de maneira duradoura e profunda o seu público. E os hospitais não ficam de fora dessa!

Uma das maiores tendências do setor é a humanização no atendimento, que promete uma experiência mais agradável e completa para o paciente. As vantagens para o hospital chegam na forma da melhoria do clima organizacional, da construção de relações de confiança com os pacientes e da diferenciação no setor, entre outras.

Quer saber como e por que implementar a humanização no atendimento em seu hospital? No post de hoje, vamos contar tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Acompanhe e mãos à obra!

O que é a humanização no atendimento?

A humanização no atendimento promove a união perfeita entre comportamento ético e conhecimento técnico, oferecendo uma experiência única para o paciente.

Atendimentos humanizados valorizam o ato de ouvir o outro, de compreender e aconselhar, de entender as queixas e necessidades dos pacientes e de respeitar suas opiniões, individualidades e desejos. Trata-se, portanto, de uma estratégia enxerga as necessidades únicas do ser humano, e não apenas mais um paciente entre tantos.

Qual é sua importância para o hospital?

Como você bem sabe, diante de um diagnóstico ou tratamento, os pacientes encontram-se em momentos particularmente frágeis e vulneráveis. Sendo assim, o que eles mais precisam não é apenas de suas habilidades e conhecimentos médicos, mas também de compreensão, acolhimento, encorajamento e paciência.

Tudo isso pode ser oferecido por meio do atendimento humanizado, com o qual você poderá criar uma relação de profunda confiança com o paciente. Dessa maneira, ele se sentirá à vontade para lhe contar tudo o que você precisa saber. Essa confiança e compreensão são fundamentais para a fidelização do paciente.

Outra grande vantagem da estratégia é que a humanização oferecida aos pacientes tende a se espalhar pelo hospital todo, alcançando também as equipes. Com isso, o clima organizacional aprimora consideravelmente, deixando todos mais motivados, produtivos e engajados em alcançar os objetivos da organização.

Como colocar essa estratégia em prática?

Oferecer um atendimento eficaz, otimizado e dinâmico também faz parte da humanização. A praticidade e rapidez trazidas pela tecnologia serão de grande ajuda para o hospital nesse novo momento, portanto, conte com o auxílio de sistemas de gestão e de aplicativos para ajudar você a tomar conta de tudo.

Dessa maneira, os funcionários terão acesso facilitado às informações e ao histórico do paciente, por exemplo. Na hora de oferecer um atendimento humanizado, ter os dados necessários à mão sem muita burocracia é muito importante.

Invista na transparência

Ser sensível e compreensivo não significa “esconder o jogo” dos pacientes. Um dos pilares da humanização no atendimento é justamente a transparência entre médico e paciente. Quando essa via anda para os dois lados, todos os envolvidos terão a chance de ouvir um ao outro, fortalecendo a relação de confiança.

Reter informações ou transmiti-las com pouca clareza resulta apenas em ansiedade, pavor e angústia, além de dar asas às imaginações mais férteis para pensar em mil cenários terríveis que podem até mesmo piorar o estado real de saúde do paciente.

Além disso, é claro, o paciente deve estar completamente ciente de tudo o que está sendo feito ou proposto para que ele possa consentir com todos os tratamentos, remédios, procedimentos e o que mais for necessário.

Humanize também o tratamento da equipe

Como já mencionamos, a humanização tende a contagiar a equipe inteira que circula pelo hospital, trazendo benefícios incríveis para sua motivação. Portanto, se você quer implementar a estratégia em seu estabelecimento de saúde, é fundamental que a humanização realmente também alcance os colaboradores.

Quando isso acontece, a equipe naturalmente se sentirá inclinada a oferecer o mesmo tipo de cuidado, atenção e respeito ao paciente. A humanização se estabelece como um círculo, contribuindo para o bem-estar e para a saúde mental de todos os envolvidos. Afinal, a instituição funciona em conjunto e, portanto, todas as peças devem se encaixar.

Crie o hábito de recolher feedback dos pacientes

Quando você estabelece uma cultura baseada no diálogo e na confiança, mesmo os problemas e decepções percebidos pelo paciente dentro do hospital tornam-se muito mais fáceis de contornar, pois ele estará mais receptivo.

Faça jus a isso por meio do recolhimento de feedback dos pacientes, algo que deve se tornar um hábito se você quiser continuar aprimorando o hospital e aumentando as taxas de fidelização cada vez mais. Dessa maneira, você terá dicas valiosas sobre problemas a serem corrigidos, medidas a serem implementadas e pontos a serem aprimorados.

Considere as condições mentais e existenciais do paciente

Um diagnóstico não vem acompanhado apenas de um tratamento, mas também de muita fragilidade, medo, vulnerabilidade, desespero. Cada paciente reage de uma forma, e você deve considerar ainda os familiares envolvidos na situação. Não é pouca coisa, não é mesmo? Portanto, tudo isso deve ser tão respeitado quanto a saúde física.

Trate seu paciente por inteiro, e não apenas o que aflige seu corpo. Ele precisa de acolhimento, alívio e orientação. Enxergue-o enquanto indivíduo e faça o possível para confortá-lo. Mostre-se presente, escute-o e fique atento para aquilo que ele transmite sem falar nada.

Ao mencionar os efeitos colaterais de um tratamento quimioterápico, por exemplo, não fale somente das consequências físicas. Converse abertamente com o paciente sobre questões estéticas, relações afetivas, vida sexual, trabalho, rotina etc., tudo o que for afetado pelo tratamento.

Isso é tratá-lo de forma humanizada. Dessa maneira, você revolucionará o atendimento de tal maneira que o paciente jamais esquecerá o que você, sua equipe médica e seu hospital fizeram por ele.

Entenda as resistências e dúvidas do paciente

Pode acontecer de o paciente não aceitar determinado remédio ou procedimento. Isso deve ser respeitado, desde que não comprometa as chances de sucesso do tratamento. Por isso mesmo a transparência, como já mencionamos, é fundamental.

Além disso, quando o tratamento envolver restrições alimentares, físicas ou comportamentais, aquela velha checklist de tudo o que o paciente pode ou não pode comer ou fazer deve ser abandonada dentro das práticas do atendimento humanizado.

Passe orientações baseadas na realidade de vida dele, priorizando seu conforto e bem-estar sem prejudicar o tratamento. Dessa maneira, ele se sentirá mais motivado a seguir esses parâmetros e a conversar com você abertamente durante o acompanhamento.

Gostou de entender melhor por que a humanização no atendimento é tão importante para os hospitais da atualidade? Quer continuar por dentro das melhores dicas para aprimorar seu estabelecimento de saúde cada vez mais? Então, siga-nos Facebook, no Twitter, no YouTube, no Instagram e no LinkedIn e acompanhe todas as nossas postagens!