A Tecnologia da Informação é indispensável em qualquer empresa. O que nem todo mundo percebe é que é necessário fazer o monitoramento de infraestrutura de TI. Afinal, sem esse controle, o resultado é a obsolescência dos equipamentos, dos sistemas e, por consequência, da rede utilizada.

E engana-se quem pensa que esse problema está relacionado somente aos pequenos e/ou médios negócios. Grandes corporações também sofrem desse mal — e, muitas vezes, deixam passar despercebidos os prejuízos que essa situação causa.

Neste post, vamos mostrar a importância dessa atitude. Além disso, indicaremos quais ferramentas e processos são essenciais para que o monitoramento da infraestrutura funcione.

Então, que tal saber mais? Continue lendo!

A importância do monitoramento de infraestrutura de TI

Controlar todos os aspectos que envolvem a Tecnologia da Informação é uma atividade difícil. Entre os desafios encontrados estão a complexidade de aplicativos, ambientes e infraestrutura. Isso é o que aponta o estudo da Ipswitch.

De acordo com o levantamento, 88% dos entrevistados sentem falta de soluções de gestão mais flexíveis e com menos restrições para o monitoramento. Já 66% sente que a complexidade é um entrave para o sucesso das atividades da equipe de TI. As principais preocupações são relativas a:

  • aplicações em nuvem, com 50%;

  • equipamentos móveis e redes sem fio, com 55%;

  • aplicações em banda larga, por exemplo, streaming ou vídeo, com 41%.

Por fim, o estudo mostra que 44% das equipes de TI deixam de monitorar todas as variáveis que gostariam ou desconhecem o possível alcance que possuem. O problema de todo esse contexto é que a quantidade de aplicações e dispositivos que consomem recursos da infraestrutura de TI é crescente e é, muitas vezes, desproporcional às soluções disponíveis.

A consequência é uma dificuldade maior para realizar as tarefas inerentes à equipe de TI, além do gasto de tempo exagerado para a execução de atividades e a pressão cada vez maior em cima dos colaboradores. Esse cenário também ocasiona a aparição de gargalos antes inexistentes, que precisam ser eliminados ou reduzidos por meio do monitoramento.

Outros impactos devido à falta de monitoramento são:

  • lentidão na entrega de serviços e sistemas;

  • problemas na correção de incidentes com agilidade;

  • falta de previsão de incidentes;

  • aumento do custo operacional;

  • investimentos incorretos, com má distribuição dos recursos tecnológicos;

  • falta de segurança.

Por outro lado, o controle dessas questões traz mais eficiência à organização. O Network Barometer Report 2016, divulgado pelo site Dimension Data, evidencia que as redes monitoradas são reparadas em 32% menos tempo e respondem até 69% mais rápido. A mesma pesquisa ainda indica que 75% das redes possuem uma ou mais vulnerabilidades de segurança e que 1/3 dos problemas é causado por falha humana.

Fica evidente, então, que o monitoramento evita acidentes. É por isso que há 3 principais razões para a sua implantação:

  • garantia de serviços próprios e infraestrutura;

  • favorecimento à expansão dos negócios, o que possibilita ter uma visão mais aprofundada sobre a infraestrutura;

  • uso de uma ferramenta útil para todas as empresas, qualquer que seja o segmento de atuação.

A execução do monitoramento

A implantação do serviço de monitoramento garante a redução de custos operacionais, aumenta a segurança, permite à TI fazer um melhor dimensionamento dos investimentos etc. Desse modo, consegue-se usar melhor os recursos, aumentar a produtividade e tornar os sistemas mais estáveis e rápidos.

Para fazer o monitoramento, o ideal é contar com ferramentas e processos adequados. Confira as dicas que preparamos para você:

Defina e acompanhe as métricas

Esse dado é fundamental para o monitoramento, mas deve ultrapassar a parte técnica e contemplar também outros pontos importantes. Por isso, o ideal é classificar as métricas para fazer uma análise mais acertada.

Por exemplo: se o objetivo é avaliar a produtividade, você deve trabalhar com as work metrics, que verificam a saúde do sistema. Nesse caso, percebe-se o desempenho geral, como a carga de trabalho por segundo, tarefas realizadas com êxito, quantidade de erros, etc.

Por sua vez, se a finalidade é diagnosticar e investigar problemas, o ideal é trabalhar as resource metrics, que servem para casos de queda no sistema, por exemplo. Essa situação pode ser justificada por meio de um relatório, que apresentará informações relevantes, como a média de capacidade usada, infraestrutura que está em uso, registro de erros obscuros e mais.

Faça o gerenciamento de configurações

Erros nessa questão podem gerar atrasos e exposição de dados sensíveis. Por isso, é necessário ter um cuidado extra. Por exemplo: um novo processo que exige modificações no firewall pode levar ao bloqueio de uma aplicação crítica devido à falha humana.

A implantação da gestão de configurações aumenta as chances de sucesso, porque o gestor analisa as mudanças e identifica possíveis conflitos. Além disso, evita-se o acesso não autorizado, o que aumenta a proteção dos dados.

Use boas ferramentas de monitoramento

As soluções disponíveis para o monitoramento de TI são bastante variadas, mas muitas são restritas e pouco flexíveis em relação às funcionalidades. O ideal é trabalhar com uma ferramenta adequada, como a da Vectra.

Assim, você repassa a responsabilidade do monitoramento e tem mais chance de focar em atividades estratégicas. Ao seu negócio, cabe uma visão mais simplificada da TI, além de serviços e ambientes mais disponíveis e rápidos. A consequência é o aumento da produtividade e o direcionamento à execução e elaboração de novos projetos, que traz mais satisfação para os seus colaboradores e usuários.

Analise os dados para gerar melhorias

O monitoramento depende diretamente dos aprimoramentos para que a empresa alcance melhores resultados. A equipe deve ser qualificada e ter acesso a informações relevantes, que indiquem onde as melhorias são necessárias. Perceba que o melhor é contar com um software que faça o recolhimento automático de dados para evitar a perda de tempo com essa atividade mais operacional.

Aposte na comunicação em nuvem

O cloud computing é uma ferramenta interessante para otimizar os serviços, oferecer mobilidade e acompanhar a empresa conforme a infraestrutura é escalada. Uma das principais vantagens é que o investimento é baixo e você ainda pode terceirizar o serviço para ter um resultado melhor. Assim, tem mais flexibilidade e consegue atender às demandas que chegam à TI.

Seguindo essas dicas, fica muito mais fácil fazer o monitoramento de infraestrutura de TI, não é mesmo? Aproveite e tenha acesso a todas essas vantagens entrando em contato com a Vectra para ver como nossas soluções podem ajudar o seu negócio.