A inovação no modelo de gestão hospitalar está diretamente ligada ao emprego da tecnologia nesse setor.

Afinal, não há como pensar em aumento da produtividade, melhoria na assistência ao paciente e agilidade nos processos internos sem a utilização das inovações tecnológicas.

Mas por que inovar a gestão hospitalar é tão importante? Por que é essencial que ela ocorra de forma segura e responsável? E, finalmente, como ela interfere na produtividade?

Se você quer a resposta para todas essas perguntas e ainda deseja aprender como inovar na gestão de seu hospital de maneira prática, continue a leitura desse post.

A importância da inovação na gestão hospitalar

Um bom gestor se preocupa muito com os números e resultados, afinal, preza pela reputação de seu hospital. E, não menos importante, ele quer ver sua instituição sendo reconhecida pelo tratamento de excelência dado aos pacientes.

Para isso, é essencial sempre buscar soluções inovadoras em gestão hospitalar. E é sabido que inovação e tecnologia são conceitos atrelados, que podem atuar juntos na melhoria de todos esses processos internos hospitalares.

Assim, a inovação é importante porque assegura que todos os sistemas se mantenham integrados e funcionando em perfeito estado.

E a atuação de um setor de tecnologia da informação (TI) bem estruturado sempre atualizado com as melhores opções do mercado  — é o pilar para que a inovação ocorra na prática.

E justamente essa excelência em integrar todos os processos internos com auxílio de tecnologia de ponta, é a responsável por se colher bons frutos.

Redução de gastos com a otimização de recursos, alto nível de atendimento aos pacientes, reconhecimento como referência em determinadas áreas da medicina e claro, a segurança da solidez desses resultados positivos  —, são alguns desses frutos.

Mas, e na prática diária, de que forma é possível comprovar a importância de se inovar na gestão hospitalar? Ou seja, o quanto é essencial empregar cada vez mais tecnologia nos processos internos?

Basta tomar a área de propedêutica médica como exemplo. Dentro da área da medicina, esse setor é o responsável por toda a investigação que leva ao diagnóstico de um paciente. Sem dúvida, a propedêutica está entre os departamentos mais importantes independente do serviço de saúde.

Assim, os profissionais dessa área devem estar aptos a lidar com um fluxo grande de usuários. E, para isso, devem aplicar os recursos tecnológicos e toda a capacidade de raciocínio clínico para assegurar um diagnóstico qualificado, preciso e rápido.

Isso porque nenhuma especialidade médica é capaz de conseguir evoluir seus pacientes se não há o auxílio de exames laboratoriais e de imagem.

Assim, é primordial que a área da propedêutica médica seja assistida por ferramentas de gestão processual que auxiliam na dinâmica e efetividade na hora de realizar os exames.

Mas que inovações tecnológicas são essas? E de que forma esses novos recursos são importantes para aumentar a precisão do diagnóstico clínico e a produtividade?

O monitoramento dos serviços: a gestão automatizada

Algumas tecnologias recentes permitem avaliar em tempo real recursos para diagnósticos empregados no setor de propedêutica de um determinado hospital.

Assim, essas ferramentas tem a missão de colocar em uma visão panorâmica alguns dados como: exames incorretos repetidos, horários vagos, atraso, quantidade de pacientes, agendamento de atendimentos, tempo de utilização, dentre outros.

Uso de relatórios manuais e agendas escritas

Esses recursos eliminam a necessidade de utilizar relatórios manuais e agendas escritas, o que melhora a qualidade das informações sobre a produtividade do setor.

E isso, sem dúvida, facilita as decisões que o gestor da instituição vai tomar. Por exemplo, dessa forma é possível analisar quando um exame é mais solicitado, de acordo com o período do dia.

E assim é possível distribuir a demanda de utilização de equipamentos como a tomografia computadorizada ou aparelhos de raio X e ressonância magnética  — e de profissionais da coleta para o laboratório.

O que otimiza o uso de recursos de uma maneira mais eficiente e evita horários ociosos e sobrecarga do serviço.

Uso de gráficos e checkpoints

Uma outra forma de utilizar essas ferramentas de gestão é o uso de gráficos e checkpoints. Eles têm a vantagem de colocar o levantamento do que é produzido em interfaces visuais interativas e simples.

Com isso, obtém-se uma análise precisa de alguns problemas que são mais comuns em um tipo de serviço de saúde específico, principalmente se a instituição é de médio e grande porte.

Reduções do tempo para realizar determinada radiografia e indicação das etapas essenciais em uma rápida coleta de sangue para análise laboratorial são alguns dos benefícios que é permitido alcançar com o uso desses recursos.

Armazenamento de dados online

A grande funcionalidade do emprego dessas inovações tecnológicas é a facilidade de armazenamento, que fica disponível para acesso online.

Isso permite que informações possam ser comparadas e analisadas de acordo com o período de tempo desejado e evita que se percam em intermináveis pilhas de papéis.

A facilidade na dinâmica processual: uso de prontuários online

Uma das maiores inovações tecnológicas adquirida nos últimos tempos é o uso de prontuários eletrônicos em centros de saúde.

Além de oferecer melhora na dinâmica em cada especialidade da medicina, esse recurso ainda é capaz de proporcionar a troca de informações efetiva entre todos os departamentos de um hospital.

Agilidade na análise de exames

Para a área da propedêutica, o emprego da versão online do prontuário assegura que o paciente que realize determinado exame possa ter seu caso avaliado com rapidez por profissionais especialistas da área.

Além dessa agilidade na análise dos exames, os pacientes também usufruem da vantagem de não precisarem levar todos os seus laudos toda vez que comparecem à consulta.

Ao invés disso, todas os dados necessários ficam anexados ao seu prontuário eletrônico.

Aplicação da medicina baseada em evidências em cada paciente

Esta inovação também permite o emprego dos protocolos mais atuais que vêm da medicina baseada em evidências. Isso garante que os exames mais indicados estejam disponíveis a cada paciente.

O que traz melhorias, sem dúvida, para a qualidade do atendimento médico em sua totalidade.

Facilidade em solicitar exames

O sistema de prontuários eletrônico também permite solicitar exames imediatamente, o que diminui o tempo dos pedidos.

Em vez de entregar uma autorização ao paciente para que ele se desloque a outro departamento a fim de marcá-lo, basta solicitar por meio do sistema eletrônico.

Assim, todo o procedimento se dá na própria sala de atendimento. O médico que está realizando a consulta pode enviar, ao setor de propedêutica, o prontuário do paciente bem como suas impressões sobre o caso clínico que justificam a realizar determinado exame.

A partir disso, o setor responsável avalia qual o melhor horário para realizar o procedimento. E com isso, o trabalho do médico flui com mais eficiência, afinal, a rapidez e precisão do exame facilita o diagnóstico, bem como estabelece o tratamento.

E, além da maior agilidade em todo o processo, o paciente é assistido de uma maneira muito mais cômoda.

Foi possível ver na prática como a inovação na gestão hospitalar, por mais que seja em apenas em um setor por exemplo, a propedêutica médica pode melhorar o fluxo de vários processos internos?

E, sem dúvida, com a expansão dessa mudança para todos os setores do hospital os benefícios são ainda maiores a ponto de tornar a instituição uma referência em várias áreas.

A gestão hospitalar segura e responsável

De nada adianta inovar toda a gestão de seu hospital  — por meio da implantação de processos automatizados com tecnologia de ponta se a mudança não é planejada de forma responsável, sempre assegurando que a informação circule com segurança entre os setores. Mas como executar isso no dia a dia da instituição? Veja a seguir.

Como inovar de forma responsável?

Para estabelecer os processos internos dentro do hospital, vários fatores devem se interrelacionar recursos tecnológicos, financeiros e intelectuais, profissionais, gestores, entre outros.

É preciso agir de forma responsável para manter esses procedimentos a todo vapor, por meio do foco em sempre prestar a melhor assistência possível ao paciente.

Para isso é essencial melhorar o atendimento cada dia mais e assegurar que o sistema produtivo do hospital seja realmente produtivo a fim de que possa ser competitivo no mercado.

Quer aprender como inovar com responsabilidade os processos internos de sua instituição? Basta seguir as dicas a seguir:

Descubra as falhas

O paciente deve sempre ser ouvido quanto à avaliação de seu atendimento. Assim, qualquer tipo de insatisfação por parte deles deve ser considerado como um problema que precisa de solução.

Afinal, a insatisfação do público assistido por seu hospital é uma indicação que há falha em alguma etapa do processo.

Para isso, tenha um serviço de ouvidoria ativo disponível para reclamações e sugestões dos pacientes. Não importa de que maneira elas sejam obtidas seja via site da instituição ou por escrito —, todas as críticas são muito bem-vindas.

Isso ajuda a identificar erros como demora pelo atendimento ou rispidez por parte de algum funcionário e, dessa forma, corrigi-los o mais rápido possível.

Porém não desanime com as críticas! Encare-as como uma oportunidade de melhorar, reconstruir e inovar sua gestão.

Use os erros como aprendizado

Não tenha a ilusão de que você não vai cometer erros ou não terá problemas por melhor gestor que seja. Tenha em mente que os problemas vão vir sim e a melhor forma é acostumar-se a não somente resolvê-los, como também aprender com eles.

Encare as falhas como um alarme de que algo errado naquele processo interno e como uma chance de criar estratégias e executar ações corretivas e preventivas para evitar que o problema ocorra novamente, seja ele qual for.

Tenha bons indicadores

Para a análise de como andam os processos internos de sua instituição e como vão reagir com as inovações que venham a ser implantadas, é essencial criar indicadores.

Ou seja, não é o bastante simplesmente achar que os pacientes ficarão mais satisfeitos com a automatização da recepção, por exemplo, se a opinião deles não forem consultadas.

Para isso pesquisas de satisfação devem sempre serem feitas antes e depois de qualquer melhoria no hospital, para confirmar ou descartar se trouxe algum benefício.

Otimize processos e diminua os gastos

É muito vantajoso oferecer um mesmo serviço gastando menos recursos. Porém é ainda melhor oferecer um serviço ainda mais qualificado usando menos recursos, não é mesmo?

Isso pode parecer impossível, mas com a implantação de inovações tecnológicas na gestão hospitalar pode tornar-se uma realidade.

Como exemplo temos os softwares de agendamento online. Além de reduzirem o custo operacional com a necessidade de um call center, eles conseguem reduzir o tempo de marcação das consultas.

Melhore a qualidade sempre

É importante ter em mente três ações para inovar com responsabilidade a gestão de seu hospital: planejar, implantar e melhorar.

Dessa forma, após analisar os processos internos, planeje quais mudanças serão implantadas para reduzir as falhas e aumentar a qualidade. Além disso, é importante avaliar também os processos que vão bem para que sejam mantidos.

Porém, tenha atenção: essa divisão em três etapas é apenas para orientar a gestão. A melhora deve ser contínua independentemente se o processo funcionar ou não.

Aja de maneira flexível

Reconheça que os processos internos são influenciados pelos externos como a flutuação do mercado, a disponibilidade de equipamentos e materiais, entre outros, seja de forma direta ou indireta.

Para contornar de forma responsável essa influência, é necessário ter flexibilidade em relação aos planos de mudança internas da instituição e adaptar-se conforme for necessário.

A Inovação de forma segura

Os grandes volumes de dados que empresas da área da saúde armazenam são alvo constante de roubos e de sequestros (Ransonware). Prontuários, laudos de exames, dados pessoais dos pacientes e várias outras informações despertam o interesse de vários cibercriminosos.

E de posse desses dados, os hackers podem vender os dados para outros criminosos que realizam fraudes.

Ou podem até chantagear a instituição ou o próprio paciente pela divulgação da informação, se tiverem em mãos dados sobre pacientes famosos ou figuras de autoridade como celebridades, políticos ou executivos.

E é nesse contexto que as instituições de saúde devem prezar pelo sigilo das informações de seus pacientes.

Afinal, além do roubo de dados esses criminosos podem causar ainda mais transtornos como bloqueio de acesso ao sistema, indisponibilidade dos serviços e até mesmo controlar equipamentos médicos a distância.

Em breve vamos assistir à inclusão geral da Internet das Coisas (IoT) e não há dúvidas de que a área da saúde sofrerá grande impacto. Nessa realidade não muito distante, vários dispositivos conectados estarão integrados compartilhando dados.

Dessa forma, equipamentos de exames, dispositivos médicos e sistemas de gestão ficarão muito mais vulneráveis à ataques cibernéticos.

Com a popularização da Internet das Coisas os tipos de malware softwares que invadem dispositivos conectados à rede também tendem a aumentar.

Porém, é sabido que muitos ataques que ocorrem atualmente são devido aos malwares que já existem há anos, o que justifica se precaver com a segurança da informação desde já.

Diante desse cenário, como fazer então para implantar inovações tecnológicas de forma segura? Preste atenção nas dicas a seguir:

Mantenha seu sistema de gestão sempre atualizado

O avanço da tecnologia não represente um empecilho para que os hackers atuem no roubo de informações. Isso porque os ataques ficam cada vez mais sofisticados e para isso é necessário inovar.

Para isso, sempre mantenha seu sistema de gestão atualizado, com a utilização de softwares que apresentem mais dispositivos de segurança.

Tenha uma empresa que gerencie seu sistema de informações

Uma ajuda é sempre bem-vinda. Por isso, é muito importante contar com o apoio de uma empresa especializada em serviços de TI que preste consultoria à sua instituição.

Essa terceirização assegura que todos os processos internos do hospital se mantenham integrados e gerenciados de forma mais segura.

Utilize ferramentas de seu próprio ambiente

Para inovar e aprimorar a segurança das informações que circulantes nem sempre é preciso adquirir novas tecnologias.

Na maioria das vezes, os responsáveis pela administração desconhecem todas as funções que seu próprio sistema oferece. Assim, analisar o próprio ambiente interno para alinhar sua ferramenta de gestão com a demanda é essencial para tornar o meio mais seguro.

Mantenha os sistemas de informação integrados

Atualmente, o modelo de segurança mais eficaz caminha em direção à integração. Dessa forma, é preciso permitir que a tecnologia trabalhe de forma autônoma e promova a troca de informações dentro de um mesmo sistema.

Assim, o sistema precisará cada vez menos da intervenção de um gestor. E, consequentemente, se tornará mais seguro.

A inovação na gestão hospitalar para a produtividade

Na grande maioria dos casos, a inovação na gestão hospitalar é realizada devido à necessidade de aumentar a produtividade, seja por desejo de ampliar o raio de assistência da instituição ou torná-la um centro de referência.

Inclusive algumas instituições já foram até reconhecidas nacionalmente como o Hospital das Clínicas de Porto Alegre (RS) por adotarem modelos de gestão que fizeram a produtividade crescer.

Porém, de que forma é possível alcançar esse objetivo na prática? Quais medidas o gestor deve tomar para que isso aconteça? Confira algumas diretrizes operacionais que podem ser adotadas para inovar com maior produtividade.

Desenvolver e valorizar os recursos humanos

A equipe de profissionais é o alicerce de toda instituição de excelência. Assim, em primeiro lugar, você deve preocupar-se em manter sempre os melhores profissionais do ramo em seu corpo de funcionários.

E não apenas contratá-los, mas atuar para que se mantenham em sua empresa. Para isso, não basta oferecer os salários mais altos do mercado. Muitos profissionais de ponta, por vezes, recusam propostas de ganhos salariais tentadoras em outras instituições porque criam raízes em seu ambiente de trabalho.

O que mantém um bom funcionário em seu emprego é que o gestor reconheça seu valor. Portanto, é primordial que o administrador mantenha um bom relacionamento com os empregados e seja flexível por exemplo, ao negociar férias, escalas de plantão, entre outros.

Controlar as áreas de maior receita e despesa

O controle financeiro, principalmente das áreas de maior receita e maior despesa, é o que assegura o equilíbrio nas contas do hospital.

Para isso, é essencial investir na automatização dos processos internos. Apenas com o controle dos dados é possível reduzir o desperdício e aumentar a receita, pois só assim é possível assegurar a fidelidade das contas, ou seja, ter conhecimento sobre o que realmente foi gasto e o que foi arrecadado.

Adequar a estrutura organizacional à assistência prestada

Um nível elevado de organização deve anteceder qualquer processo de inovação em um hospital. Apenas dessa forma é possível adequar a estrutura que sua instituição pode oferecer à  demanda de pacientes que poderão ser assistidos.

Utilizar de forma plena recursos físicos e tecnológicos

Não é incomum  que mesmos os profissionais responsáveis pelo sistema de informação dentro da instituição não tenham conhecimento sobre todas as funções que a tecnologia disponível no sistema pode executar.

Dessa forma é importante conhecer a fundo os recursos físicos e tecnológicos para que eles sejam usufruídos em sua totalidade.

Assegurar assistência de excelência aos pacientes

Esse quesito é responsável por elevar a credibilidade da instituição na comunidade, contribuindo para seu reconhecimento.

Para isso, elevar o nível do atendimento é essencial. Não só melhorando a atenção no cuidado, mas também promovendo a agilidade dos processos internos a fim de facilitar o diagnóstico e estabelecer o tratamento de qualidade com rapidez.

Não é nada fácil realizar inovações na gestão hospitalar. Não só porque pode trazer mudanças que reestruturem toda a dinâmica do ambiente e exija um período de adaptação até que os frutos possam ser colhidos.

Inovar também é um processo que deve ser bem planejado com muita responsabilidade para que só traga benefícios. Isso sem contar os riscos para a segurança dos dados da instituição.

Porém, o que um bom gestor deve ter em mente é que esses riscos sempre existirão, mas deixar de inovar por conta disso, é um risco ainda maior.

Foi útil para você nosso post sobre como inovar na gestão hospitalar de forma segura e responsável? Deseja saber mais sobre outros aspectos sobre esse tipo de gestão? Então Entenda como a automatização de processo favorece o hospital.