Cada vez mais, a tecnologia oferece alternativas de comunicação para uso pessoal e profissional. Para uma instituição de saúde, investir nessa modernização é uma estratégia para aumentar a eficiência do atendimento e otimizar os canais de comunicação com o paciente.

No entanto, para ampliar as vias de interação, é importante conhecer as alternativas disponíveis e saber manejar esses recursos. Quer entender melhor sobre como diversificar os canais de comunicação do seu hospital? Confira o nosso post e saiba mais!

Entenda a importância de diversificar os canais de comunicação

Utilizar canais diversos para se comunicar com o paciente é uma medida estratégica na gestão do hospital. Isso permite um atendimento mais completo para quem procura o serviço de saúde.

Além disso, a variedade de vias de contato dá alternativas para o paciente: se ele ligar no telefone, mas a linha estiver ocupada, ele pode enviar um SMS, por exemplo. Com a medida, o leque de escolhas aumenta, o que permite agilidade, autonomia e fortalecimento do vínculo com a instituição.

Diversificar as estratégias de comunicação também facilita a lembrança de consultas e a desmarcação, caso seja necessária. Assim, é possível minimizar as faltas e cobrir horários vagos com outros atendimentos, o que evita a perda de tempo e dinheiro.

Saiba quais são os melhores canais de comunicação com o paciente

A tecnologia da informação oferece cada vez mais ferramentas para serem utilizadas na comunicação com pacientes e na gestão hospitalar. Confira, a seguir, os principais canais de interação que selecionamos para você e sua equipe utilizarem em sua clínica.

Telefone

O telefone é um recurso comunicativo tradicional de interação em serviços. É muito conhecido, permite uma relação direta do paciente com o atendente, além de ser acessível e prático.

Para manejar bem o telefone no consultório médico, tenha recepcionistas e profissionais preparados para atender com agilidade e cortesia. A secretária eletrônica e identificador de chamadas também são necessários para retornar ligações perdidas.

SMS

As mensagens em celular (SMS ou Short Message Service) são uma alternativa de baixo custo, o que é ótimo para as finanças da clínica. Também são pouco invasivas, uma vez que o paciente visualiza o torpedo apenas quando tem disponibilidade.

O SMS deve ser usado para transmitir informações mais curtas, como lembrar a data de atendimentos ou fazer cancelamentos e remarcações, por exemplo. Mas passar receitas, comentar diagnósticos ou fornecer resultados de exames é totalmente inviável por esse recurso.

E-mail

O e-mail é uma excelente alternativa, mas não é viável tratar toda a questão por ele. Existe o risco de o paciente não ver a mensagem, pois muitas pessoas não verificam a caixa de entrada com frequência. Você pode utilizar o e-mail na clínica para enviar boletins, notícias e resultados de exames digitalizados, por exemplo.

O e-mail possui várias vantagens: é prático, rápido, de baixo custo e pouco invasivo. Além disso, é possível enviar uma mesma mensagem para um grande número de pessoas de uma só vez. Para os informativos do hospital, ou para questões que não são sigilosas, esse veículo é muito vantajoso.

Whatsapp

O Whatsapp tem uma função parecida com a do SMS, mas há diferenças. Ele é acessado pela internet, o que o torna ainda mais barato que os torpedos.

Além disso, esse aplicativo permite a troca de imagens, vídeos e mensagens de voz. O Whatsapp ganhou muita popularidade e por isso acaba sendo efetivo na comunicação profissional. Para seu hospital gerenciar bem o uso dessa ferramenta, é importante ter um número específico para os contatos médicos.

Em todo caso, evite misturar mensagens de pacientes com as pessoais. O perfil, foto e frase de identificação devem ser alinhados com a imagem profissional da clínica, para transmitir credibilidade e confiança.

SAC e SAC 2.0

O SAC é um serviço de atendimento para interagir com o paciente e ouvir as reclamações, elogios, dúvidas e sugestões. Esse canal de comunicação permite que os gestores hospitalares tenham um feedback de como está o trabalho. Assim, é possível melhorar a qualidade do atendimento.

Já o SAC 2.0 é uma evolução do serviço de atendimento convencional, que passa a alcançar os meios informatizados, envolvendo a interação nas redes sociais e meios virtuais. Nesse sistema, há diversas vias de contato (Facebook, Twitter, LinkedIn, Tumblr, entre outros) e uma lógica dinâmica e rápida.

Dessa forma, você pode ter um canal otimizado para receber feedbacks e ter uma relação mais próxima com o paciente. Mas fique atento: com as redes sociais, qualquer informação pode ser acessada por milhares de pessoas em segundos. É importante gerenciar bem os retornos positivos e as reclamações e críticas.

Site

Ter uma página do hospital na internet é necessário para promover uma boa imagem e oferecer informações básicas. No site, você pode apresentar a instituição, valores, missão, endereço, mapas sobre como chegar, contatos e até abrir plataformas de acesso individual do paciente.

Para gerenciar um site, você precisa ter cuidado com a aparência da página e com a adequação da linguagem ao seu público. Lembre-se também de manter a página atualizada e de publicar apenas conteúdos relevantes e relacionados à área da saúde.

Contato pessoal

Essa forma de comunicação é primordial na área da saúde. Ela permite um cuidado direto, a mediação de problemas e a solução de desentendimentos. Além disso, as dúvidas podem ser esclarecidas no momento que surgem, o que minimiza dificuldades.

É importante valorizar o contato pelos meios virtuais, mas reconhecer que ele tem suas fraquezas. O ambiente digital não indica a entonação e nem sempre permite que toda a questão seja exposta. Assim, há muitas demandas médicas que são mais bem abordadas pelo contato pessoal.

Esteja atento à manutenção dos recursos de comunicação

É fundamental contratar um bom serviço de tecnologia da informação para que a manutenção das vias de interação seja feita com qualidade.

Lembre-se que as falhas e erros podem prejudicar a imagem da clínica. É preciso ter estratégias para contornar os problemas operacionais e garantir uma comunicação versátil e otimizada.

Além disso, você não precisa investir em todas as formas de trocar informação. É necessário ter uma diversidade de canais, mas é preciso pensar em outras questões, como a viabilidade financeira, a disponibilidade para fazer manutenções e a adaptação do público.

Ampliar os canais de comunicação com o paciente é uma estratégia para promover um atendimento melhor e com mais qualidade. Assim, você pode atrair pessoas e facilitar a troca de informação.

Gostou de aprender sobre a ampliação dos canais de comunicação com os pacientes? Assine a nossa newsletter e receba mais informações!