Gerenciar um hospital é uma tarefa complexa por vários fatores. Como entidade privada, os diretores e acionistas buscam obter lucro. Para isso, é preciso racionalizar as despesas, controlar investimentos e buscar a eficiência administrativa.

Paralelamente a isso, a função básica e primordial de um hospital é atender bem as pessoas, muitas das quais chegam ao estabelecimento em um estado de fragilidade emocional ou de saúde e só esperam ser bem atendidas e sair dali em condições melhores.

O fator humano é a principal variável desta equação e o bom atendimento é o que determina o sucesso ou não do empreendimento.

Dadas essas dificuldades, cada vez mais, os gestores hospitalares têm procurado por alternativas que os ajudem na administração do estabelecimento. A ideia é descomplicar algumas tarefas burocráticas e investir o tempo e os recursos economizados na atenção às pessoas que dependem do atendimento hospitalar.

E uma tendência nessa área é justamente a tecnologia mobile, sobre a qual vamos falar neste texto. Boa leitura!

Foco no atendimento

Como a prerrogativa das instituições de saúde é cuidar do ser humano, a tecnologia pode funcionar como um atalho importante para facilitar alguns procedimentos burocráticos, que costumam ser alvos de críticas frequentes entre os pacientes.

O primeiro ponto de atenção começa já no atendimento, já que as pessoas chegam cansadas, muitas vezes, com dores e com pouca disposição para preencherem fichas ou esperarem até serem chamadas por um médico. A Tecnologia da Informação voltada para a saúde permite destravar esses processos.

Dados pessoais já fornecidos podem ficar armazenados em um banco de dados, o que evita o gasto com a papelada. Dessa forma, o paciente é liberado antes e o hospital também economiza. Outro ponto interessante é manter um histórico das visitas daquele paciente no hospital, o que também pode ser feito por meio de um banco de dados.

Dessa forma, de posse de informações de atendimentos anteriores, o médico terá mais condições de fazer um diagnóstico acertado e identificar os procedimentos que já foram utilizados naquele paciente em ocasiões parecidas.

Agendamento de consultas online

Dependendo dos serviços oferecidos, a tecnologia mobile também permite uma outra comodidade ao paciente: o agendamento de consultas. Com o smartphone, a pessoa que deseja marcar uma consulta pode realizá-la em qualquer lugar e em qualquer momento, tem acesso na hora aos dias e horários disponíveis e, com isso, desafoga o serviço de call center.

Se o objetivo de um hospital é atender bem, as novas tecnologias, quando bem utilizadas, podem significar pacientes mais satisfeitos.

Redução de custos com a tecnologia mobile

Outro objetivo importante da Tecnologia da Informação aplicada à gestão hospitalar é buscar a melhor otimização de recursos possível. E quando falamos em recursos podemos pensar não somente na questão financeira, mas também na diminuição de tempo gasto e na otimização dos processos adotados pela equipe de profissionais.

Quem trabalha na gestão de um grande hospital sabe das dificuldades de organização das finanças e procedimentos corriqueiros, o que pode gerar algum tipo de gasto muita vezes evitável. As ferramentas de tecnologia mobile ajudam a evitar erros comuns em processos feitos manualmente e ajudam o gestor na tomada de decisão.

Com os dados discriminados e com acesso em tempo real, na ponta dos dedos, fica mais fácil identificar onde há uma elevação de determinados custos ou em que área se tem gastado uma quantidade superior de materiais que o esperado, por exemplo.

Essas informações facilitam a racionalização dos gastos. Além disso, há outros exemplos de redução de custos que justificam o investimento na tecnologia mobile como solução para a gestão hospitalar.

Economia com materiais

O uso da tecnologia para desburocratizar parte dos processos em uma empresa serve também para economizar a papelada gerada todos os dias. Em um hospital, essa demanda é crescente, já que os procedimentos precisam ser registrados, assinados e encaminhados para os diferentes setores do estabelecimento.

Além disso, há economia dos filmes de revelação de exames — comuns nos pedidos de raio-X, por exemplo —, já que as imagens são enviadas via sistema.

Menos horas extras e mais eficiência

Consequência natural da otimização dos processos administrativos é a economia de tempo. Isso porque alguns processos manuais passam a ser automatizados e, dessa forma, o tempo despendido nesses procedimentos é encurtado.

Do ponto de vista da gestão, os profissionais conseguem realizar suas atividades em menos tempo e o número de horas extras também é menor.

Aumento do controle de materiais e insumos

Dependendo das características de um hospital, do serviço que ele presta e da gestão feita por seus diretores, até cerca de 20% de suas despesas podem ser destinadas exclusivamente para a aquisição de insumos — como remédios, agulhas e outros materiais usados no dia a dia da instituição. Para se ter uma ideia, isso significa que um em cada cinco reais podem ser destinados, exclusivamente, para a compra desses produtos.

Esse percentual pode ser diminuído caso as ferramentas de tecnologia mobile sejam bem utilizadas e exerçam seu papel de controle do fluxo de medicamentos, além de identificar se há excesso ou falta de materiais nos estoques.

Essas informações, organizadas e de fácil acesso ao gestor, ajuda na tomada de decisões, facilita o processo de compra e disciplina o uso em todos os setores do hospital. De um lado, a gestão automatizada dos insumos e materiais podem fazer com que sempre haja uma cota mínima de material necessário para que nada falte ao paciente.

Por outro lado é importante também observar se não há gastos em excesso. Uma boa gestão desses dados pode servir para que o gestor identifique se os medicamentos estão sendo usados corretamente.

No texto de hoje mostramos como que alguns usos práticos da tecnologia mobile voltadas para a área da saúde podem ajudar na gestão de uma unidade hospitalar. Reduzir custos, controlar entrada e saída de insumos e melhorar o atendimento aos pacientes são consequências naturais de uma boa gestão das informações geradas por esse tipo de ferramenta.

Outro aspecto importante do investimento nessas novas tecnologias é a integração dessas informações dentro das diferentes áreas de um mesmo hospital, tema que já foi contemplado em nosso blog. Confira!