O papel da tecnologia no setor público está relacionado a uma série de benefícios. Aplicando as soluções certas, o gestor pode reduzir custos, eliminar gargalos e garantir mais qualidade para os serviços. Nesse sentido, ferramentas como a virtualização de desktops podem ser cruciais para manter uma rotina de qualidade.

Quer saber o motivo? Então veja no nosso post de hoje como essa solução pode ser implementada e quais são os seus benefícios!

O que é a virtualização de desktops?

A virtualização de desktops é uma solução de TI em que um software simula o funcionamento de um computador real. Em outras palavras, nesse processo o sistema do usuário é migrado para um ambiente virtual, com uma solução de TI sendo responsável por executar todas as características de uma interface de rede, um processador, um conjunto de memórias RAM e outros elementos que fazem parte de uma máquina real.

A virtualização de desktop é uma solução flexível. Em geral, ela é executada das seguintes formas:

  • na máquina do usuário, para a execução de sistemas legados ou soluções de TI que não são compatíveis com os softwares da companhia;

  • em um servidor local, que é responsável por gerenciar todas as máquinas virtuais da empresa e o seu acesso via rede;

  • em um ambiente de cloud computing, sendo o seu acesso e gestão via internet.

Como a virtualização de desktops auxilia no trabalho remoto?

As rotinas de trabalho remoto já fazem parte dos processos de vários setores. Na área governamental, elas também podem ser implementadas para atrair os mesmos ganhos obtidos no setor privado (como redução de custos, aumento de produtividade e ampliação do engajamento dos profissionais).

Adotando a virtualização de desktops, as rotinas de home office se tornam mais eficazes e práticas. O gestor poderá distribuir as soluções internas com mais segurança, evitar a perda do controle dos dados e quedas na produtividade. Assim, todos os times atuarão de modo estratégico para evitar falhas e garantir que os objetivos de médio e longo prazo sejam sempre atingidos.

Quais os benefícios de investir nessa tecnologia?

A virtualização de desktops ganhou espaço na iniciativa privada em função de vários fatores. Mas quais deles são aplicáveis ao poder público? Veja os benefícios abaixo!

Redução de custos

A virtualização de desktops permite que a empresa corte uma série de gastos relacionados a infraestrutura de TI. Mantendo várias máquinas em um único servidor, por exemplo, os custos energéticos caem. Ao mesmo tempo, a manutenção fica mais simples, evitando que o time de TI responsável pelo processo tenha que ser ampliado.

Maior escalabilidade

Esse é um benefício que pode ser verificado especialmente na virtualização na nuvem. Máquinas virtuais podem ser configuradas e disponibilizadas ao usuário rapidamente.

Isso torna a infraestrutura muito mais escalável. Consequentemente, o gestor poderá garantir a todos os usuários que a infraestrutura sempre terá uma performance alinhada com as demandas do time interno.

Aumento da mobilidade

Virtualizando os sistemas na nuvem, a instituição pode distribuir as soluções internas para todos os profissionais. Assim, a mobilidade de cada área é ampliada sem que a produtividade sofra algum tipo de impacto negativo.

Maior integração

A virtualização de desktops permite que qualquer solução de TI seja integrada ao dia a dia do usuário. Se o setor tem apenas máquinas com um sistema operacional baseado no Linux, por exemplo, mas precisa executar uma solução que está disponível para o Windows, basta configurar uma máquina virtual com o sistema. Dessa forma, o usuário poderá manter a sua rotina em qualquer ambiente.

Alta disponibilidade

A indisponibilidade de recursos de TI é algo que compromete qualquer operação. Mas com a virtualização, esse risco pode ser evitado facilmente: hospedando as máquinas na nuvem, a instituição garante que os sistemas sempre serão mantidos acessíveis aos usuários e, assim, nenhuma queda de produtividade ocorrerá.

Alta confiabilidade

A confiabilidade das soluções de TI está diretamente conectada com a sua integração no dia a dia de cada usuário. Investindo na virtualização, esse fator pode ser otimizado a partir de dois itens: aumento da segurança e da capacidade do setor de TI se proteger contra a perda de dados.

Uma máquina virtual pode ter os seus processos de monitoramento e segurança digital executados de maneira centralizada. Além disso, as atualizações são aplicadas com agilidade e precisão. Dessa forma, o número de vulnerabilidades cai drasticamente.

Ao mesmo tempo, processos de backup se tornam mais simples. Com algum clique, todo o sistema é protegido. Dessa forma, se falhas ocorrerem, ficará muito mais fácil para o gestor recuperar os dados.

Como é feito a gestão das máquinas virtualizadas?

Para começar a utilizar as máquinas virtuais, uma boa estratégia é contar com o apoio de um parceiro estratégico. Nesse processo, o setor de TI direciona a gestão dessa solução para um parceiro estratégico, que ficará responsável por entregar uma ferramenta que esteja completamente alinhada com o perfil dos usuários.

Essa opção pode ser implementada por vários motivos. Um deles, por exemplo, é a redução de custos. A companhia ficará responsável por gerenciar a virtualização do modo mais eficaz possível e o pagamento será feito sob demanda.

Além disso, o time de TI interno poderá direcionar mais atenção para as rotinas críticas do setor. Dessa forma, a qualidade dos processos aumentará, criando uma experiência de uso muito mais agradável para quem precisa lidar com as soluções tecnológicas diariamente.

A tecnologia pode ter um grande papel na melhora do fluxo de trabalho de qualquer empresa ou instituição pública. Investir em TI permite a geração de economia, o aumento da produtividade e a redução de erros em todos os processos.

O investimento em soluções que melhoram a experiência do usuário, aliás, é um dos pontos mais importantes. Quando esse fator é otimizado, o gestor de TI pode evitar riscos, integrar soluções de terceiros com mais agilidade e garantir que o retorno obtido seja o máximo possível. Além disso, o usuário terá meios para aproveitar de modo profundo todos os recursos da ferramenta.

Nesse sentido, a virtualização de desktops é algo que pode ser aplicado a qualquer processo. Tanto na gestão pública quanto privada, essa solução reduz custos, facilita a simplificação dos processos de TI e cria um ambiente mais eficaz. Assim, os profissionais podem focar em serviços estratégias e garantir a sua capacidade de atender demandas externas.

Gostou dessa dica? Então compartilhe ela com os seus contatos nas redes sociais e auxilie mais pessoas a conhecer a virtualização de desktops.